CATEGORIA: Listas

5 dicas para não criar expectativas

smile

Antes de mais nada, se iludir é o que você faz quando eleva suas expectativas ao nível de verdades absolutas. Ou seja, se decepcionar é apenas o terceiro passo diante da queda que plantou para si mesma. No entanto, não vou negar que é impossível não se imaginar por meio segundo em uma realidade paralela de abraços e carinhos com alguém que, talvez, você tenha acabado de conhecer. Sinceramente, sequer me privo de idealizar por alguns instantes que minha fantasia seja real. Uma garota pode sonhar, não pode? Mas sempre volto ao chão em passos firmes, já que com o tempo aprendi que ainda melhor do que se perder nos próprios planos é ter quem faça questão de se incluir neles. Relacionamentos são sobre parceria, confiança. E isso resume basicamente tudo em nossas vidas. Como eu poderia ter o controle de um futuro que a dois pertence?


Por isso, travo uma batalha comigo mesma em que aprendo diariamente a mudar o que considero inaceitável, principalmente em mim, e abrir mão do que não me compete, principalmente quanto aos outros. E isso resume basicamente todas as dicas a seguir.

1) Respeito reflete.
Se você tem respeito por si mesma desde as menores atitudes, não precisa se preocupar em como se impor. A reciprocidade é natural. Você conquistou um patamar de consideração que lhe poupa de discussões perdidas na tentativa de fazê-lo entender o certo e errado no seu ponto de vista. Aliás, quando se há respeito até mesmo de quem é a razão torna-se secundário, mesmo discordando compreendem-se. Isso não quer dizer que seja preciso aceitar tudo que não faria, mas você aprende a medir o que vale a pena o bate-boca. Ter respeito por si mesma não é ser orgulhosa, mas autoconfiante. Você precisar dar o braço a torcer, sim. Incontáveis vezes, por sinal. Mas nenhuma em que precise se humilhar pra provar seu lado.

2) Ninguém é obrigado a gostar de você.
Algumas vezes, eu julguei um livro pela capa, assim como, julguei um garoto por suas gírias e suas roupas. Muitas vezes, eu quebrei a cara quanto a isso, me vi com uma vergonha contida e desesperada de compensar alguém que eu critiquei (talvez mentalmente) sem que tenha me dado reais motivos. Outras vezes, eu estive certa por uma feliz coincidência. Mas em todas elas, eu me precipitei em achar que alguém DEVERIA gostar de mim porque eu não tinha lhe feito nada, sem me dar conta de que eu já havia “implicado” com alguém que também não tinha me feito nada! Pimenta nos olhos dos outros não arde, não é? Acontece que com o tempo eu percebi que as pessoas que não gostavam de mim faziam com que eu me sentisse melhor comigo mesma. Isso porque eu não tinha medo de expor minha opinião, eu não tinha receio em sair com uma roupa que eu achava que estava linda, eu não temia ser vista com quem tinha “má fama”. Eu sabia quem eu era, o que as pessoas pensavam sobre o que eu fazia não me afetava, não me mudava. Então, se isso incomodava tanto alguém a ponto de não gostar de mim... Paciência. Essa provavelmente era uma pessoa que não teria nada a me acrescentar. Ainda bem que a vida ensina a gente como selecionar o que nos faz bem.

3) Pessoas mudam.
Passamos a vida inteira numa busca por nós mesmos feita de altos e baixos, medos e delírios, apelos e saudades. Nos contradizemos, nos decepcionamos com nossas próprias atitudes. Eventualmente, fazemos algo tremendamente errado e que nos arrependemos pela primeira vez. Isso acontece porque estamos em constante transformação. Nossos gostos mudam com o passar do tempo, nossas manias, nossos sonhos, quem dirá, nossa personalidade! A única certeza sobre nós é que somos completamente mutáveis, flexíveis e adaptáveis. E, ao longo dos anos, descobrimos que também somos muito mais fortes do que jamais imaginamos, que sempre estivemos prontos pro maior desafio da nossa jornada e sequer sabíamos disso. É quando nos superamos, damos a volta por cima e assumimos nossos erros como aprendizados que percebemos quem nos tornamos. Até mudarmos de novo. Se isso acontece diariamente com nós mesmo, como podemos conhecer os outros? Algumas coisas são fases, outras, traços de personalidade. Identifica-las denota tempo, mas sobretudo, paciência. Talvez dentre essas mudanças, um casal muito acostumado ao comodismo, se perca, se confunda. Mas só quando aprendemos a nos adaptar é que verdadeiramente nutrimos um amor sincero por alguém. Pessoas mudam por elas mesmas, quando lhes convém, e às vezes até sem perceber. Não podemos determinar como e quando alguém vai mudar, só torcer que seja devido a nossa influência, ao nosso apoio. Mude com a gente, e não pela gente.

4) Não espere que elas sejam quem você pensa que são.
A gente leva umas boas bofetadas na cara até entender que, na maioria das vezes, o problema não estava em quem nos decepcionou, mas em quanto acreditávamos no que dizíamos sobre alguém. Uma coisa que ninguém lhe diz é que não podemos medir a interpretação dos outros quanto as nossas melhores atitudes. Conflitos se fazem justamente por causa do desencontro de informações, da supervalorização de atitudes pequenas, das nossas malditas entrelinhas. Vivemos por achar que lemos mentes, que entendemos melhor do que ninguém as mensagens subliminares. E pior, ainda acreditamos que é inocência crer que algo simplesmente seja o que demonstra ser. A gente tem que complicar, a gente tem que ver um sentido mais profundo em tudo. A questão é: seja o melhor que puder de si mesmo, sempre se pondo no lugar dos outros, e torça pra que eles possam ver em ti, pelo menos, essa força de vontade em fazer dar certo. Porque, honestamente, ninguém vai compreender tuas boas intenções tanto quanto você e argumentar sobre isso é uma tremenda perda de tempo, mas estamos todos no mesmo barco. Estamos todos tentando nos consertar de alguma forma, então, a força de vontade é que realmente deve ser valorizada.

5) Todo mundo sofre.
Independentemente de quais sejam seus motivos pra sentir-se amargurado ou cansado de tentar, lembre-se que todo mundo está passando pelo mesmo sentimento nesse exato momento. Isso não é uma competição sobre quem sofre mais, quem merece mais piedade. Isso é simplesmente a vida. Todo dia, todo mundo enfrenta suas próprias batalhas, vence seus medos, idealiza seus sonhos. Cada qual com a proporção que suporta levar nas costas. Ainda que ao ouvir o desabafo de alguém você ache absurdamente irrelevante, entenda que falar “mas tem gente passando fome” não vai fazê-lo sentir-se melhor. Só ele sabe onde seu sapato aperta. O melhor conselho que eu posso dar é: seja gentil com as pessoas pra que elas tratem os outros da mesma forma. Não podemos ajudar o mundo inteiro, é claro. Mas podemos ajudar uma pessoa e ela pode querer ajudar outra, e no final das contas, todo mundo se ajuda.

E aí, gostaram? :D

Escrito por Samantha Silvany

Autora do site Bendita Cuca!, e Youtuber nas horas vagas. Não contém um sorriso ou detém um devaneio. Criou o BC! para conseguir suportar a convivência consigo mesma. Ou para um tratamento psicológico gratuito. Ou os dois. Acredita que todo mundo precisa de um grande amor para chamar de próprio.

Wishlist da Bienal do Livro 2015

A Bienal do Livro 2015 está chegando (falta menos de um mês \o/) e claro que todo mundo quer saber quais serão os lançamentos, quais autores estarão presentes e onde cada editora vai estar. Eu darei mais detalhes sobre isso no canal do Magia Literária (clique aqui para conhecer e se inscrever), mas hoje irei falar sobre 10 livros que estão na minha gigante wishlist da Bienal e que serão lançados até lá.

Eu queria poder falar de muitos outros livros em um só post já que, além de estar ansiosa por vários lançamentos, temos muitos autores nacionais muito bons, mas escolhi alguns que já tem capas e sinopses divulgadas e livros de autores que ainda não mencionei aqui e que estarão presentes na Bienal, assim vocês já podem escolher os livros que querem e procurar as datas dos autores para terem seus autógrafos.


#Partiu Vida Nova, da Leila Rego (Editora Gutenberg): Como muitas garotas pobres do interior, Mariana também sonhava em se casar com um cara perfeito, ter uma casa arrumada e ser feliz “até que a morte os separe”. Mas o sonho dela parecia ter sido turbinado: ela ia se casar com Eduardo, médico, lindo, rico, cobiçado e divertido, ia morar em um superapartamento no melhor bairro da cidade, e nunca tinha se sentido mais feliz com seu vestido de noiva de marca e um guarda-roupa repleto de peças de grife que ela tanto valorizava. Depois de uma trabalheira maluca e da organização de todos os detalhes, o grande dia havia chegado. E, se dependesse dela, tudo sairia maravilhoso! Ela estava em seu quarto sozinha, terminando de se arrumar para a cerimônia, quando o noivo aparece de repente e diz que precisa conversar, pois não se sente pronto para casar. A imagem do casal em cima do bolo começa a desabar… O que aconteceu com Edu? Mari necessita de respostas, nada mais faz sentido. Agora, ela precisa ir atrás da verdade, nem que para isso tenha que descer do salto, arregaçar as mangas e fazer um longo caminho de volta, até conseguir finalmente começar a aproveitar a sua tão sonhada vida nova.

A Aposta, de Vanessa Bosso (Grupo Editorial Novo Conceito - Novas Páginas): A primeira experiência amorosa de Nina não foi nada boa. Diante de tamanha decepção, a garota não quer saber de namorados e seu coração virou uma pedra de gelo. No colégio, os garotos lançam uma aposta a Lex, o grande pegador , daqueles que arrancam suspiros até mesmo de objetos inanimados. Será que ele, com todo seu poder de sedução, conseguirá conquistar o coração de Nina? De forma hilária e dinâmica, a autora levará os leitores a uma viagem inesquecível, na qual a amizade e o amor reinarão em absoluto... Até que uma vingança surja em cena para estragar tudo. Quem sairá vencedor? Façam suas apostas. O jogo está prestes a começar.


A Escolha Perfeita do Coração, de Bianca Briones (Verus Editora): Continuação do sucesso As batidas perdidas do coração Viviane e Rafael enfrentaram uma montanha-russa de emoções em As batidas perdidas do coração, antes de finalmente se entenderem e conseguirem o que tanto queriam: ficar juntos para sempre. Agora, dois anos depois, esse recomeço está longe de ser tranquilo. Os fantasmas de Rafael o assombram, e Viviane, mais uma vez, precisa lutar para mostrar que ele mesmo é seu único inimigo. O que fazer quando a pessoa que você ama é uma força autodestrutiva? Como redimir alguém que não acredita ser digno de redenção? É possível amar a pessoa que mais te magoou? Até onde vale a pena lutar por um amor? Esta é a chance de Rafael e Viviane aprenderem que a mesma pessoa que pode partir seu coração em mil pedaços é capaz de juntar os estilhaços e fazer você se sentir inteiro outra vez.

Além do Tempo e Mais Um Dia, Lu Piras (L&PM Editores): Benjamin González Delamy teve poliomielite aos três anos. A doença paralisou suas pernas e o obrigou a passar a maior parte da infância preso a uma cadeira de rodas. Porém, ele tem a sorte de contar com uma família amorosa, que o apoia e o incentiva a não se resignar e a nunca desistir. Na escola, conta com a amizade de Angelina, uma doce menina que cuida dele e o protege. Aos doze anos, cansado de depender dos outros e do olhar de piedade das pessoas, convence os pais e os médicos de que a amputação é sua melhor chance de poder levar uma vida autônoma: a cirurgia o habilitaria a usar próteses, e seu grande sonho é ser um velocista profissional e participar das olimpíadas. Benjamin sabe que a decisão pela amputação é apenas o primeiro passo de uma longa caminhada repleta de desafios, tanto para o corpo como para a mente. Ao lado de Angelina, sua amiga de infância e primeiro amor, ele se sente capaz de tudo. Mas o destino lhe pregará outra peça, colocando-se no caminho dos dois. Sem Angelina, será ele capaz de lutar pelo seu sonho? Até onde vai sua determinação? E seu amor por Angelina? Uma encantadora história sobre superação, resistência, coragem e esforços sobre-humanos – e sobre um amor além do tempo.

Escândalo, de Tammy Luciano (Editora Valentina): Viva uma história de amor que -- na atual realidade das garotas famosas, candidatas à diva e que dominam o mundo da TV -- fará você perder o fôlego ao acompanhar a rotina, os dramas e a, muitas vezes, dura realidade de uma personagem parecida com alguém que conhecemos nas novelas que tanto amamos. Belinda é a garota da capa nessa trama atual, acelerada e sem meias palavras, catapultada ao estrelato praticamente da noite para o dia. Até onde vai a maldade alheia? O dinheiro compra realmente tudo? Que mistérios envolvem a vida de uma das atrizes mais amadas do momento? O que esconde a moça de vida perfeita? Um livro com a intimidade da fama sendo escancarada. Vida real dentro de uma ficção, segredos de um mundo guardado a sete chaves, como o último capítulo da novela.


O Garoto Quase Atropelado, de Vinícios Grossos (Faro Editorial): Um garoto sofreu com um acontecimento terrível. Para não enlouquecer, ele começa a escrever um diário que o inspira a recomeçar, a fazer algo novo a cada dia. O que não imaginou foi que agindo assim ele se abriria para conhecer pessoas muito diferentes: a cabelo de raposa, o James Dean não-tão-bonito e a menina de cabelo roxo, e que sua vida mudaria para sempre! Prepare-se para se sentir quase atropelado de uma forma intensa, seja pelas fortes emoções do primeiro amor, pelas alegrias de uma nova amizade ou pelas descobertas que só acontecem nos momentos-limite de nossas vidas. Estar vivo e viver são coisas absolutamente diferentes!

O Mundo as Vozes Silenciadas, de Carolinha Munhóz e Sophia Abrahão (Fantástica Rocco): Anos após deixar para trás o Reino das vozes que não se calam, Sophie superou a depressão e começou a trabalhar como assistente de uma famosa banda de rock. Em turnê pela Europa e longe dos amigos e da família, a jovem agora precisa encarar as responsabilidades da vida adulta. Para Sophie, porém, tais obrigações vão muito além da simples burocracia das viagens e do agendamento dos shows. Ela também vai precisar lidar com o burburinho da mídia, a ansiedade dos fãs, o vício em drogas de um dos integrantes da banda e, principalmente, com o próprio coração partido. Mas os problemas de Sophie estão apenas começando. Quando ela menos esperar, será chamada de volta para o Reino. E sua ausência entre os Tirus se provará mais prejudicial para o mundo mágico do que a garota jamais imaginou. Nesse momento, ela vai precisar retribuir todo o carinho e apoio que recebeu de seus súditos anos antes. Será que agora ela vai de fato assumir a sua coroa?

Para Continuar, de Felipe Colbert (Grupo Editorial Novo Conceito - Novas Páginas): Envolver-se com a jovem Ayako é a oportunidade perfeita para Leonardo César esquecer a sua vida tediosa e perigosamente limitada, tudo por culpa do seu coração defeituoso. Enquanto isso, com a ajuda de seu avô, Ayako tem a difícil missão de manter inacessível um porão de dimensões que vão além da loja de luminárias que ela gerencia, repleto de milhares de lanternas orientais, cujo mistério envolve os habitantes do bairro da Liberdade. A partir dos crescentes encontros entre Leonardo e Ayako, uma nova lanterna surgirá para os dois. Eles terão que protegê-la com afinco, ou tudo que construíram juntos poderá desaparecer a qualquer momento. O que ninguém conseguiria prever é que Ho, um jovem chinês também apaixonado por Ayako, colocaria em risco o futuro desse objeto. E com ele, o sentimento mais importante que dois seres humanos já experimentaram.

Surpreendente, de Maurício Gomyde (Editora Intrínseca): Pedro Diniz tem um desafio e um problema pela frente. O desafio: filmar um roteiro magnífico capaz de surpreender o público e conquistar o prêmio Cacau de Ouro. O problema: não ter ideia de como fazer isso. Aos 25 anos, recém-formado, Pedro está convencido de que é um sujeito muito especial, que tem a missão de usar o cinema como instrumento para melhorar o mundo. Diagnosticado na adolescência com uma doença degenerativa que o condenaria à cegueira, ele contraria a lógica da medicina quando a perda de sua visão estaciona de forma inexplicável. Enquanto comanda o último cineclube de São Paulo e trabalha em uma videolocadora da periferia, Pedro planeja seu próximo filme, a obra que vai consagrá-lo. E, para animar as coisas, conhece a intrigante Cristal, uma ruivinha decidida, garçonete e estudante de física nuclear, que mexe com seu coração. A perspectiva idealista de Pedro, porém, sofre sérios abalos. Atormentado por um segredo, ele parte com os amigos Fit, Mayla e Cristal numa longa viagem até Pirenópolis, em Goiás, a bordo de um Opala envenenado. Com câmeras nas mãos e espírito de aventura, a equipe técnica improvisada está disposta a usar toda a sua criatividade na filmagem feita na estrada ao sabor de encontros inesperados e de sentimentos imprevisíveis. E o jovem cineasta descobre que, quando o destino foge do script, nada supera o apoio de grandes amigos.

Um Ano Inesquecível, de Babi Dewet, Bruna Vieira, Paula Pimenta e Thalita Rebouças (Editora Gutenberg): Dizem por aí que os melhores momentos da vida são vividos na adolescência. Os primeiros amores, os encontros, as festas, as viagens, as surpresas… E são sempre os instantes inesperados que transformam um dia comum em uma lembrança especial, daquelas que nunca deixarão de nos acompanhar. Este é um livro sobre esses momentos doces e sensíveis que não se apagam da memória tão facilmente. Quatro contos, em quatro estações do ano, sobre jovens que passam por vivências e sentimentos intensos. Paula Pimenta nos leva em uma viagem de inverno. Babi Dewet conta como um outono pode mudar tudo. Bruna Vieira mostra a paixão brotando com a primavera. E Thalita Rebouças narra um intenso amor de verão. Histórias de um ano inesquecível que vão ficar para sempre!

Algum livro da minha lista já estava na sua? Tem algum nacional que você quer muito e eu não coloquei no post? Me indica nos comentários!

Escrito por Mariana Mortani

Se você realmente quer conhecê-la, procure as características de uma verdadeira aquariana; ela possui todas elas. Carioca, apaixonada pelo mar, por futebol e por livros, Mariana é estudante de Jornalismo, faixa verde de karatê, bailarina desde os 3 anos, fala quatro idiomas e tem três vícios: livros, chocolate e abraços. Em 2011 criou o Magia Literária (magialiteraria.net) para escrever resenhas dos livros que lia e hoje, graças ao blog, trabalha como leitora beta, mediadora de eventos e tradutora.

5 atrizes que você não sabia que amam ler

Semana passada falamos sobre os livros favoritos dos autores, essa semana falaremos de 5 atrizes que amam ler e incentivam a leitura entre seus fãs e seguidores das redes sociais. São 5 atrizes que eu adoro e amo quando falam sobre algum livro porque, além de saber o que elas estão lendo, pego algumas dicas também.
Hilary Duff: Além de cantora, atriz, compositora e designer, Hilary também é escritora (ela tem três livros publicados) e Harry Potter, Crepúsculo e Jogos Vorazes estão entre suas séries favoritas. Ela já foi flagrada lendo várias vezes e, entre essas leituras estão dois livros de Jodi Piccoult, Salem Falls e The Fact, ela já disse no Instagram que leu um livro (A Culpa é das Estrelas) em um voo e gostaria de poder voltar no tempo para lê-lo pela primeira vez novamente e muita gente ficou impressionada que a eterna Lizzie McGuire tinha lido Cinquenta Tons de Cinza. A perguntaram se ela diria sim ou não para o livro, a resposta foi: Isso é realmente embaraçoso, mas eu li Cinquenta Tons de Cinza. Eu tive que ler porque todas as minhas amigas já tinham lido e todos estavam falando sobre ele. Mas não estou necessariamente orgulhosa disso. Bate aqui, Hil! Li pelos mesmo motivos e terminei com a mesma sensação.
Reese Witherspoon: Reese é do tipo de leitora que compartilha suas leituras no Twitter e no Instagram, sempre com a hashtag #bookworm (que seria #leitorvoraz em português). A primeira vez que vi que a atriz gostava de ler foi quando ela disse que estava na página 290 de Como Eu Era Antes de Você, da Jojo Moyes (um dos meus livros favoritos) e perguntou se iria chorar no final da leitura. Minha próxima leitura, A Garota do Trem, de Paula Hawkins, já foi indicada pela atriz, que disse ter ficado acordada a noite toda lendo. Uma vez ela disse que Luckiest Girl Alive, de Jessica Knoll, foi o livro que a prendeu mais, a fazendo roer as unhas, e no início deste verão nos EUA ela publicou uma nova foto do livro dizendo que era leitura obrigatória para os adultos no verão. Second Life, de S.J. Watson, também foi indicado pela atriz, que disse que era um thriller incrível que a deixou presa na cadeira. Quem passar pelo seu Instagram terá ótimas dicas de leitura.
Emma Roberts: Emma Roberts também é bookaholic assumida e sempre compartilha suas próximas leituras e leituras finalizadas nas redes sociais. No Instagram ela já postou foto de livros como Valley Fever, de Katherine Taylor, Rebecca, de Daphne Du Maurier, Drieft Wood, de Elizabeth Dutton (que, eu concordo com ela, já é incrível na página 20), Não Sou Uma Dessas, da Lena Dunham (amo esse livro), We Were Liars, de E. Lockhart (o autor é um dos favoritos da atriz), The Opposite of Loneliness, de Marina Keegan (quando postou a foto, Emma disse que precisava compartilhar a leitura, que estava sem palavras e lamentava a perda de um talento tão jovem), Different Sasons, The Shinning e Doctor Sleep de Stephen King, que é um autor que sempre está entre suas leituras.
Emma Watson: Emma já disse várias vezes que ama ler e sempre arranja um tempo vago para o hobby. Assim como muitos, Harry Potter foi uma série marcante na sua infância e foi seu pai quem leu os quatro primeiros livros da série para ela. Emma também compartilhou algumas de suas leituras nas redes sociais, entre elas estão: A Culpa é das Estrelas, de John Green, que ela disse ter ficado acordada até às 4h da manhã lendo; The Opposite od Loneliness, de Marina Keegan, que ela falou no twitter que, assim como Emma Roberts, precisava comentar sobre a leitura e ainda pediu para os seguidores que haviam lido comentarem as melhores partes com ela; Mom & Me & Mom, de Maya Angelou, que foi um livro que ela postou no twitter no dia da morte da escritora, em 2014, dizendo que todos a amavam profundamente e que saboreariam suas palavras para sempre (Emma também já compartilhou algumas frases da autora no Twitter); Carta de Amor aos Mortos, de Ava Dellaira, que ela postou no Twitter dizendo: "Querida Ava, eu amei o seu livro"; e As Vantagens de Ser Invisível, que ela leu antes de fazer parte da adaptação e, depois, tirou uma foto da nova edição dizendo não acreditar que estava na capa de um livro. Fofa, né?
Kat Dennings: Kat é gente como a gente e ama livros de sebo. Ela é fã de clássicos, já mostrou sua estante enorme para os seguidores do Instagram, coleciona livros velhos por amar o cheiro, seus livros favoritos são A Girls of the Limberlos e The Twilight of Magic e sonha em poder participar de um filme inspirado nas duas obras e suas escritoras favoritas são Colette e Charlotte Brontë (a atriz coleciona edições de Jane Eyre, livro da autora). Suas últimas leituras, compartilhadas no Instagram, foram The 13 Clocks, de James Thurber, e Não Sou Uma Dessas, da Lena Dunaham e Kat ainda contou em uma entrevista que uma vez foi com o namorado, o ator Nick Zano, em uma livraria e ele apareceu com um café ao seu lado. Ela perguntou de onde o café tinha surgido e ele falou que tinha saído do local por duas horas e ela nem tinha percebido. Sei como é, Kat, já aconteceu algo parecido comigo...
E você, já leu algum dos livros que as atrizes leram?

Escrito por Mariana Mortani

Se você realmente quer conhecê-la, procure as características de uma verdadeira aquariana; ela possui todas elas. Carioca, apaixonada pelo mar, por futebol e por livros, Mariana é estudante de Jornalismo, faixa verde de karatê, bailarina desde os 3 anos, fala quatro idiomas e tem três vícios: livros, chocolate e abraços. Em 2011 criou o Magia Literária (magialiteraria.net) para escrever resenhas dos livros que lia e hoje, graças ao blog, trabalha como leitora beta, mediadora de eventos e tradutora.

5 passos para seguir em frente

large-3

Confesso que, por muitas vezes, de olhos fechados e coração apertado, me pego desejando de uma maneira tão tola quanto infantil uma segunda chance. Às vezes, uma terceira ou quarta. O problema da gente é que pra ter certeza que alguém não vale a pena temos que esgotar nossas possibilidades, ir ao fundo do poço, chorar de calcinha a noite inteira agarrada ao travesseiro. Temos uma tendência de superestimar o que sentimos e, principalmente, por quem sentimos. O que alguém pode ter de tão especial pra nos fazer tão frágeis? O segredo é justamente esse: a importância que damos a elas, e não, quanto elas realmente importam.
Por essas e outras vezes em que fiz do amor um jogo e me perdi tentando ganhar quem, talvez, sequer estivesse ao meu lado, vou listar o que aprendi sobre como seguir em frente.

1) Seja sua prioridade.
Com certeza você já deve ter ouvido o ditado que diz “Não dê prioridade há quem lhe trata como opção”, e eu o achava uma verdade absoluta. Acontece que ninguém merece ser uma prioridade acima de você mesma. Às vezes, a gente troca a vontade de ter um amor pra chamar de seu pelo direito de ter um que chamamos de próprio. Eventualmente, deixamos de nos moldar, deixamos de ser uma parceria, uma combinação de gostos, pra nos tornamos um fantoche. Não podemos culpar aos outros se ao final da nossa história nos perdemos em tantos abraços e esquecemos de nós. Ninguém deve valer mais do que você pra si mesmo.

2) No passado não se ama.
A maioria de nós não sabe o que passado realmente significa e por isso se prende pelas desventuras de outra época, se culpa pelas rupturas que não se fecharam. Mas a verdade é que não dá pra seguir em frente enquanto uma memória continua viva. Não dá pra amar no presente quem se faz ausente. Se apegar às lembranças boas, à saudade que lateja e discussões de apego é mero consolo. Você se deslumbra com uma situação inexistente, cria sentimentos calejados pela imaginação e se martiriza sem sequer ter motivos.

3) Não existe fase para namorar.
Quando alguém lhe desperta o interesse, você o quer por perto. Quando alguém lhe faz bem, você o quer todos os dias. Não importa se terminou um relacionamento há 5 dias ou 5 anos; o amor não é pontual. A gente ama quando nos convém, quando nos sufoca por dentro. A gente ama de graça, não tem roteiro, nem receita. Simplesmente acontece. Se você, por alguma razão, está decidida a não se envolver novamente, então não dê oportunidades pra que isso aconteça. Mas, honestamente, deve se perguntar o que há de tão ruim em se apaixonar novamente? Do que você tem medo? Não tem fórmula mágica pra escapar do sofrimento, a vida dá mesmo umas belas bofetadas pra que a gente aprenda a se levantar, então, é muito melhor ter ao menos alguém pra dividir o peso da caminhada.

4) Valorize seu tempo.
Já nem conto o tempo que perdi investindo a fino trato em que sequer me via como uma opção. Às vezes, a gente quer tanto que alguém nos note e nos valorize que deixamos pra trás o real valor que temos. Não tem nada de errado em desistir vez ou outra. Nem todo mundo merece nossa insistência, e nem toda persistência é sinônimo de coragem. Quando uma história não lhe rende mais bons momentos (e só passageiras saudades) é a hora de avaliar se não devemos seguir em frente. Tem gente que não vale o desperdício de tempo, tem gente que não aprende. Deixe pra trás quem nunca te puxou pra frente.

5) Se lamentar é auto-piedade.
Não há nada pior do que alguém que procura nos outros mais do que está disposto a mudar em si. Veja bem, em nenhuma relação existe certo e errado, vítima e culpado. Em geral, relacionamentos são feitos de idas e vindas, perdas e ganhos. Amor é sobre completude, equilíbrio e adversidades, claro. Não dá pra taxar o que não conseguimos entender como errado. Tem que se ter, sobretudo, respeito. Então, não se sinta pena de si mesmo por ter criado expectativas que não foram supridas por outros. Pessoas são livres, e por isso nem sempre são capazes de corresponder à altura. Acontece. Vida que segue.

Escrito por Samantha Silvany

Autora do site Bendita Cuca!, e Youtuber nas horas vagas. Não contém um sorriso ou detém um devaneio. Criou o BC! para conseguir suportar a convivência consigo mesma. Ou para um tratamento psicológico gratuito. Ou os dois. Acredita que todo mundo precisa de um grande amor para chamar de próprio.

Os livros favoritos dos autores

Olá, pessoal! Tudo bem?
Percebi que vocês gostam dos posts onde indico livros com algum tema específico, mas no post dessa semana, quem vai indicar o livro são os autores. Resolvi falar sobre os livros favoritos de 10 autores que já falaram sobre os livros que mais marcaram suas vidas, afinal, quem nunca se perguntou qual era o livro favorito do seu autor favorito?

1. JK Rowling: Emma, de Jane Austen

Para a autora de Harry Potter, o livro Emma, de Jane Austen, é seu favorito. Em uma entrevista ela disse que "você está atraído pela história, então você sai para o outro lado e sabe que acompanhou algo grandioso em ação. Mas você não pode ver a pirotecnia, e não há nada chamativo". O livro foi publicado em 1815 e traz uma personagem contraditória que é mimada, que superestima seu poder de manipulação e, ao mesmo tempo em que é madura em alguns aspectos, se engana facilmente com intenções e atitudes alheias.

2. Jane Austen: The History of Sir Charles Grandison, de Samuel Richardson

Para a autora de Emma e Orgulho & Preconceito, que sempre foi uma leitora voraz, The History of Sir Charles Grandison (A História de Sr Charles Grandison), de Samuel Richardson, era seu favorito. No livro publicado em 1753, o autor atendeu o pedidos dos leitores de criar um herói que fosse um homem bom, uma contrapartida do herói errante Tom Jones, personagem do livro homônimo de Henry Fielding.


3. Thalita Rebouças: Ensaio Sobre a Cegueira, de José Saramago, e Leila Diniz, Uma Revolução na Praia, de Joaquim Ferreira dos Santos

A autora que mais vende livros para jovens no Brasil disse em uma entrevista que Fernando Sabino, Luiz Fernando Veríssimo e João Ubaldo Ribeiro estão entre seus autores favoritos. Ela disse ser amante de literatura "boa e divertida" e recomendou Ensaio sobre a cegueira. de José Saramago, por achar "um livro maravilhoso", e também aconselha a leitura de Leila Diniz, uma revolução na praia, de Joaquim Ferreira dos Santos.
4. George R Martin: O Senhor dos Anéis, de J.R.R. Tolien
Os fãs do autor de Game of Thrones não se surpreenderam quando ele disse que Senhor dos Anéis, de J.R.R. Tolkien, é seu favorito. Ele disse em uma entrevista que seu o livro no colegial e que ainda admira muito a história.

5. Tati Bernardi: A Insustentável Leveza do Ser, de Milan Kundera

“Entre as obras que mais marcaram a autora brasileira estão A insustentável leveza do ser, de Milan Kundera, que Tati disse se tratar "profundamente da angústia humana. Fala de relacionamento de forma brilhante e é escrito de forma primorosa sem ser ‘difícil’ de ler". Ela ainda disse que, para ela, livro bom é aquele que traz algo intenso sem ser metido a difícil.

6. Matthew Quick: Choose Your Own Adventure, de Edward Packbard

Choose Your Own Adventure é a série preferida do autor de O Lado Bom da Vida. Ele disse em uma entrevista que não conseguiria escolher um favorito e nem lembraria o nome de todos os livros, mas lembra que amava o fato de que as histórias te tornavam protagonistas e como a cada página surgiram novas perguntas.

7. Isabela Freitas: E Não Sobrou Nenhum, de Agatha Christie

A Isabela já mencionou Agatha Christie várias vezes nas redes sociais e no site, mas tive que ir nos posts mais antigos para descobrir seu livro favorito da autora. Ela disse que O caso dos dez negrinhos', ou como é chamado atualmente, E não sobrou nenhum, "é o tipo de livro que você lê em algumas horas. Simplesmente não tem como parar!" 10 pessoas foram chamadas para ir a uma mansão, cada uma com um pretexto diferente. Ninguém se conhece e elas não sabem porque foram chamadas. Mas a medida que a história se desenrola, uma a uma vão sendo assassinadas. Só saberemos quem está por trás disso quando não restar nenhum…

8. James Patterson: Peter Pan, de J.M. Barrie

Peter Pan é seu livro favorito desde a infância. Ele disse que "tem piratas, sereias, fadas... como não gostar?" e revelou que quando escreveu Maximun Ride, sua primeira série para crianças, tinha o livro de J.M. Barrie sobre o menino que nunca cresceu em mente.

9. Gillian Flynn: E Não Sobrou Nenhum, da Agatha Christie, e A Canção do Carrasco, de Norman Mailer

A autora de Garota Exemplar disse que ela chama seus livros favoritos de "livros que alimentam o conforto", que basicamente são os livros que a ajudam quando ela tem bloqueio, quando tudo o que ela lê não parece bom o bastante ou quando está doente. Ela disse que os dois favoritos são E Não Sobrou Nenhum, da Agatha Christie (sim, o mesmo da Isabela!) e A Canção do Carrasco, de Norman Mailer, que traz a história de Gary Gilmore, um condenado à morte.

10. John Green
John Green nunca disse qual seu livro favorito (pelo menos eu nunca li em nenhuma entrevista nem consegui achar algo agora), mas em 2012 ele fez um vídeo recomendando seus livros favoritos e na lista estão livros como Em Busca de Um Final Feliz, de Katherine Book, A Menina Que Roubava Livros, de Markus Zusak, Se Eu Ficar, de Gayle Forman, Divergente, de Veronica Roth e Feios, de Scott Westerfeld. Esses são os livros que já li da lista, mas se você quiser conferir ela completa é só clicar aqui.

E vocês? Tem um livro favorito desde a infância, tem um livro favorito para cada fase da sua vida ou um único livro favorito? Me conta nos comentários!

Escrito por Mariana Mortani

Se você realmente quer conhecê-la, procure as características de uma verdadeira aquariana; ela possui todas elas. Carioca, apaixonada pelo mar, por futebol e por livros, Mariana é estudante de Jornalismo, faixa verde de karatê, bailarina desde os 3 anos, fala quatro idiomas e tem três vícios: livros, chocolate e abraços. Em 2011 criou o Magia Literária (magialiteraria.net) para escrever resenhas dos livros que lia e hoje, graças ao blog, trabalha como leitora beta, mediadora de eventos e tradutora.