CATEGORIA: Listas

Como não perder a si mesmo em um relacionamento muito longo

Ouvi de uma amiga minha, que havia namorado a vida inteira, afirmações sobre quem ela era que sempre começavam com “Eu e o Fulano sempre íamos/fazíamos/comíamos...”. Naquele momento, me dei conta de que se você passou boa parte da sua adolescência ou vida adulta ao lado de alguém (que são fases responsáveis pela formação do caráter, acredito eu), provavelmente, suas preferências tornaram-se plural. Vocês adaptaram-se um ao outro numa mistura homogênea de gostos. Isso foi bom, é sério. Esse talvez seja um dos segredos pra terem se mantido juntos por tanto tempo. Mas quando passou prevaleceu um sentimento de perda irrecuperável, pois é difícil mesmo acordar um, depois de ser dois, e reconhecer a si como inteiro, e não metade.

Acontece que se em cada relacionamento você mudar completamente quem é por quem está ao lado, realmente, não vai sobrar nada de ti ao final da história. Isso é o que eu chamo de fase. Chega uma hora que somos tentados a dar prioridade ao que é importante pra gente, ainda que soe um pouco egoísta, e procurar aquilo – e quem – nos faça bem antes de pensarmos em agradar. Com isso, também surge o medo de começar tudo de novo, se envolver, se apaixonar e, eventualmente, se sentir perdido. É normal. Afinal, nenhum vento ajuda quem não sabe a direção. Mas sempre temos como dar um jeitinho de ceder por quem achamos que valha a pena sem que tenhamos que abrir mão de nós mesmos.

Respeitem o espaço um do outro.

É importante compreender que por mais que achemos conhecer alguém como a palma da nossa mão, aquela pessoa também tem angustias reprimidas, medos sufocados, ansiedades que embrulham o estômago. E não temos como saber cada coisinha que lhe aflige ou faz feliz. A gente tenta descobrir, é claro, mas não é nossa responsabilidade arcar com as dores ou as alegrias do outro. Portanto, às vezes, alguém só quer um tempo pra si mesmo, pra pensar melhor, pra refletir e isso pode não ter absolutamente nada a ver com o relacionamento. Você não deve se culpar por isso e, tampouco, cobrar satisfações. O melhor é deixar com que fique à vontade e sinta-se seguro para falar contigo sobre o que quiser quando quiser.

Mantenha as amizades de solteiro.

Não se esqueça das pessoas que estiveram do seu lado antes de você se envolver com alguém. Amizade não é sobre conveniência, comodismo ou rotina, é sobre afinidade. Viver uma fase completamente diferente da outra e saber que mesmo assim tem alguém para desabafar, ouvir, consolar. Não tem coisa pior do que amigos que somem quando namoram. É ruim pra quem sente falta, mas principalmente pra quem não sente porque está entretido demais com sua própria história de amor. Acontece que ninguém vive sozinho e, eventualmente, você vai precisar daquela pessoa que pôs de escanteio.

Não concentre sua felicidade nas mãos do outro.

Encontrar o amor da sua vida é maravilhoso, mas saiba que isso não lhe garante o fim da busca pela felicidade. Você precisa conquista-la, merecê-la, diariamente. Ter planos que lhe impulsionem, sonhos que tirem seus pés do chão e, sobretudo, se esforçar o máximo que puder pra despertar o melhor em alguém também. No entanto, não deve se sobrecarregar com a obrigação de fazê-lo feliz. Algumas pessoas, simplesmente, podem não estar satisfeitas ao seu lado e você vai ter que entender isso. Pior ainda: você vai ter que superar isso. Já outras pessoas encontrarão em ti uma razão pra tornarem essa busca uma constante, colecionarem felicidades a cada desafio, e não tê-las como um troféu imaculado. Elas saberão, assim como você, o quanto custa encontra-la com alguém.

Não prometa o que não puder cumprir.

De antemão lhe adianto: nunca prometa não machucar alguém. Ainda que você saiba as coisas pontuais que podem lhe fazer isso, no decorrer da relação surgirão outras que você vai se surpreender ao descobrir (ou talvez nunca chegue a saber). Se for para prometer, que prometa um diálogo. Ouça mesmo quando se sentir cansado, converse mesmo quando lhe faltarem palavras. Evite dormir com raiva e enaltecer sentimentos negativos como o ciúme, por exemplo. E, no fim das contas, torça de todo coração que todo seu esforço seja o suficiente para não ferir alguém.

Seja realista, mas não pessimista.

Às vezes, quando a relação está evoluindo tendemos a nos cobrar mais acerto, mais compromisso, mais demonstrações públicas de afeto, mais romantismo, porque talvez tenha sido assim que planejamos a vida inteira. Ou talvez foi assim que nos disseram que os casais felizes agem. O problema está em quando externamos nossas frustrações acerca do que consideramos ideal sem levar em consideração que a opinião do outro importa. O tempo dele importa. Será que ele está pronto para o mesmo que você? Ou melhor, será que espera o mesmo que você? No fundo, você sabe que se relacionar é assumir um risco. Você pode fazer tudo certo e, ainda assim, dar errado. O que deve te motivar a continuar, a insistir, é acreditar que você seja merecedor de alguém bom o suficiente pra você. Então, isso pode ser o bastante pra que engula sua ansiedade e ponha-se no lugar do outro quando o futuro que planejou não sair como nos conformes.

Gostou? Compartilha, comenta, conta pra gente <3

Escrito por Samantha Silvany

Autora do site Bendita Cuca!, e Youtuber nas horas vagas. Não contém um sorriso ou detém um devaneio. Criou o BC! para conseguir suportar a convivência consigo mesma. Ou para um tratamento psicológico gratuito. Ou os dois. Acredita que todo mundo precisa de um grande amor para chamar de próprio.

20 frases que uma amiga falsa vai dizer

Quem nunca teve uma amiga falsa? Aquela que você manteve ou ainda mantém do seu lado por anos, e não sabe como se desgarrar desse mal sem que isso te prejudique? Bate aqui, miga, ou migo. Amiga falsa dá igual mato. Pensando nisso fiz um post bem leve e divertido com algumas das frases clássicas de uma amiga falsa.


1- AMEEEEI A FOTOOOO! (e é tipo sua pior foto)

2- Óbvio que eu não pegaria ele, miga. Ele é seu!

3- Que vestido MA RA VI LHO SO! (sendo que é um vestido velho)

4- Relaxa, eu não vou contar pra ninguém, você me conhece!! (na semana seguinte até o porteiro tá sabendo)

5- Seu namorado é lindo, vocês formam um casal tão lindooooo, torço tanto pra que dê certo!! (com aquele quê de DA ERRADO, DA ERRADO)

6- "Amiga, tô gorda?
Claro que não amiga, tá linda." (e você engordou sei lá, 200 kg)

7- "Ele não te merece" (e tá dando mole pra ele nas suas costas)

8- "Amiga, ele é feio demais pra vc." (mas tá doida pra ficar com ele também)

9- "Vamos sair com fulano, prometo que não vai ficar de vela" (chega lá, adivinha? Você de vela)

10- "Amiga, eu só fiquei com ele porque tava muito bêbada, eu juro!"

11- "Amiga, eu sai ontem e não te chamei porque achei que vc não ia querer ir"

12- "Nossa, você emagreceu!!" (sendo que você engordou)

13- "Eu se fosse você cortava o cabelo curtinho!! Desapega do cabelo comprido!!" (sendo que você odeia suas orelhas de abano)

14- "Se eu soubesse que você era afim dele, juro que não tinha ficado" (aaaaaaham, não sabia, né?)

15- "Termina com esse seu namorado logo, vamos ficar solteiras, é a melhor coisa que tem!" (diz isso só porque não consegue arrumar namorado)

16- "Vi seu ex namorado com a atual dele, ela é linda, você já viu? Parece uma boneca" (querendo fazer você se sentir mal)

17- "Você não me conta mais na-da!! E aí? Me conta as novidades, quero saber!" (mas na verdade só quer repassar a fofoca)

18- "Amanhã levo sua roupa, miga" (nunca mais entrega)

19- "Saudades de ir na balada com você! Vamos hoje aproveitar uma noite das meninas?" (ai vai, pega o primeiro que aparecer e some a noite toda)

20- Definindo melhor, usar a palavra AMIGA em todas as frases. Ou simplesmente MIGA. Ou flor. Ou qualquer coisa dessas. Vamos acabar o post logo que já tá dando raiva :P

Gostaram? Compartilhem. Vamos ajudar todo mundo a identificar uma amiga falsa.

Escrito por Isabela Freitas

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

7 atitudes que podem melhorar seu relacionamento

Acredito que, no fundo, todo mundo está buscando um grande amor mesmo que não seja necessariamente alguém. A gente busca viver apaixonado, com borboletas frenéticas no estômago, com palpitações ligeiras no peito. A gente busca o que nos faça sentir vivos e que tudo, até os percalços colecionados, valeram a pena. A gente quer quem nos arrepie a alma, e não só nos faça companhia. E muitas vezes, tão ansiosos em chegarmos ao topo, ter quem quisermos ou simplesmente ser algo recíproco, construímos uma relação como um castelo de cartas prestes a desabar com o menor sopro de insegurança. É porque não estamos sempre pensando no outro, não. A gente pensa na gente e no que achamos que nos faz feliz e, claro, tentamos convencer o outro disso. Mas nunca é tarde para aprender que amor não é egoísta.

1) Dar atenção as necessidades do outro

Uma coisa é certa: quanto mais intimidade, maior também a expectativa e a frustração. Isso reflete desde a forma com que você recebe um feliz aniversário até planos de uma vida inteira. Sempre que espera ser priorizado, saber em primeira mão as novidades, nutre uma expectativa que o faz sentir mais especial, mais importante que a maioria. Desce do pedestal, tá? Confiança não se impõe, nem se pede, mas se constrói numa relação. Você a merece. Para isso, se interesse mais em ouvir do que em falar, dê importância aos conflitos do outro mesmo quando soarem incompreensíveis para você. Às vezes, só o desabafo já faz com que as aflições se tornem menores. Ninguém espera a resposta para seus problemas, mas sim, um colo para quando as angústias apertarem.

2) Não dormir brigados

Quanto mais você fala sobre algo que lhe incomoda, mais banal se torna a cada vez. Isso não quer dizer que devem ser repetitivos ou até mesmo teimosos, mas simplesmente que devem conversar sobre tudo, inclusive, sobre o que não lhes agrada. Não deixe para depois a paz que pode trazer agora. Não adie algo que lhe pesa como uma pedra no peito, a não ser que esteja com a cabeça quente. Nesse caso, prefira engoli-la a joga-la no outro sem que sequer haja uma razão. Mas sempre que puderem, conversem, expliquem. O problema está em quando achamos que o outro deve saber o que nos irrita por obrigação – ou consideração – e exigimos uma mudança sem que nem tenhamos dito os reais motivos para nos incomodar.

3) Aceitar as falhas do outro sem criticá-lo

Isso não é como passar a mão na cabeça, muito pelo contrário. Mas é entender que certas atitudes são fases e outras são traços de personalidade. O que for uma característica dele precisa ser trabalho, conversado, na tentativa de moldá-lo, e não gritado aos quatro ventos com o dedo apontado na cara. Ficar com raiva, fazer birra, deixar de falar e torcer para que ele adivinhe por pura consciência a razão de tudo não vai resolver. Simplesmente porque se ele fez uma determinada coisa que você desaprova por livre e espontânea vontade foi porque não teve capacidade de entender como isso lhe irritaria. Muitas vezes, a gente acredita que um relacionamento bem-sucedido é aquele em que eles se entendem só de se olhar, mas não é nada disso. Para se dar bem, principalmente a longo prazo, eles devem conversar, debater, se entender para se olhar com carinho.

4) Respeitar as opiniões contrárias

Tudo bem que em uma relação estável é natural que o casal passe a dividir tudo, mas isso não se aplica às opiniões. Nem sempre eles vão concordar, nem sempre votarão no mesmo candidato, nem sempre vão querer ouvir a mesma música no carro. Isso é normal. Cada qual tem seu espaço e sua individualidade, afinal, se relacionar é somar experiências e gostos, e não abrir mão de suas preferências. Se discorda, apenas tente compreender. Se não puder compreender, então mude de assunto. A não ser que a discussão em questão seja sobre o futuro conjunto, não faz o menor sentido achar que por terem gostos divergentes e opiniões contrárias não possam se dar bem em sua essência. O que conta é a disposição que resulta em aprendizado, e não, as semelhanças que podem ser mera coincidência.

5) Incluir um ao outro nas decisões

Não tem coisa melhor do que você saber que é tão importante para alguém que ele prefere ouvir sua opinião antes de tomar qualquer decisão. Você se sente parte de algo maior, você se sente verdadeiramente dentro da vida dele. E mesmo quando discordarem ou, no final das contas, não sigam a ideia um do outro, a verdadeira diferença está no fato de ter sido ouvida, de ter sido incluída. De terem suas ideias debatidas, conversadas. Esse é o pilar que sustenta a confiança.

6) Não se comparar a outros casais

Em meio ao auge das redes sociais é bastante difícil se manter alheio o suficiente para não se preocupar com o que sua amiga ganhou de presente de dia dos namorados. Ou porque, de uma hora para outra, todo mundo passou a namorar – no Facebook, pelo menos. Mas não é novidade alguma que essa competitividade entre casais só faz mal a quem a sente. Às vezes, você perde seu tempo se comparando a vida de quem nem sequer se preocupa contigo. Não vale a pena. Até porque, honestamente, a gente sabe que ninguém é tão feliz quanto aparenta e que aquelas pessoas que fazem mais questão de se expor são, provavelmente, as que mais sentem falta no dia a dia. Você só precisa se pergunta sobre o que te faz mais feliz: ser ou mostrar?

7) Celebrarem juntos até as pequenas vitórias

Rotina e intimidade são duas coisas complicadas; em parte, porque fazem de qualquer pequeno acontecimento o evento do ano e, em parte, porque fazem também de qualquer gota d’água uma tempestade. Ao mesmo tempo, dias maravilhosos são raros. A maioria de nós não pensa que se nada de ruim acontece é um dia bom, e sim, o contrário. Buscam qualquer semelhança com sua ideia de perfeccionismo para poderem se dizer feliz em um dia comum. Isso desgasta mais de dentro para fora do que se é dito. Toda pequena conquista casual deve ser celebrada, dividida. Passe a dar mais ênfase a uma conversa que lhe fez gargalhar, a sorte que teve em pegar aquele pedaço de bolo com mais cobertura, a estreia do filme que amam na próxima semana no cinema. Assim, até as menores alegrias farão parte de um diálogo, e no final do dia, somadas têm mais a acrescentar do que, de fato, datas planejadas para serem perfeitas.

E aí, o que acharam? Gostaram? Acharam as dicas úteis? Comentem. Sua opinião é muito importante para mim :)

Escrito por Samantha Silvany

Autora do site Bendita Cuca!, e Youtuber nas horas vagas. Não contém um sorriso ou detém um devaneio. Criou o BC! para conseguir suportar a convivência consigo mesma. Ou para um tratamento psicológico gratuito. Ou os dois. Acredita que todo mundo precisa de um grande amor para chamar de próprio.

11 atitudes simples para viver em paz consigo mesmo

Antes de tentar suprir um amor com outro, comece por você. Antes de julgar as atitudes ou escolhas que não compreende dos outros, comece por você. Antes de procurar refúgio em palavras, e não em atitudes, comece por você. Às vezes, a gente fracassa em uma relação quando acredita que sabe o que é melhor para o outro. Por causa disso falamos demais, agimos por impulso, impomos nossas vontades. Às vezes, a gente se deixa levar por uma pulsação forte no peito e acredita que é amor, quando não passa de desejo. Às vezes, a gente se deixa levar por alguém e nos perdemos um pouco de nós mesmos. Isso é normal. Estamos todos no mesmo barco, somos naturalmente propícios ao erro. Não vai ficando mais fácil, não. É a gente que amadurece e aprende, quando não, pelo menos não podemos desistir de tentar.

1) Esqueça todos os clichês sobre amizade. Você, de fato, não quer essas pessoas ao longo da vida. Não quer esse ombro pra chorar desgraças, não quer essas lições de moral deslavadas e não quer ter uma “outra mãe”. O que vão te erguer são as pessoas que riem das suas desgraças, debocham de seus defeitos, tagarelam de ansiedade, desafiam sua sanidade. Você vai verdadeiramente aprender com elas, confrontar-se com elas. Não se limite ao que chamam de amizade; sentir-se livre, errante, frustrado e suportar a convivência consigo mesmo é a real liberdade existente no encontro de almas. Quem sempre concorda contigo não é capaz de te fazer expandir. Aqueles que te desafiam também são os que te fazem evoluir.

2) Faça sempre mais do que sua obrigação. O problema das pessoas está no conforto da justificativa de fazer somente a sua parte. Pior ainda, quando se sentem melhores que as outras por isso. Entenda que o que não lhe custa nada, não lhe custa nada mesmo, mas pode significar muito pra alguém e, principalmente, para um relacionamento. Então, deixe sua obrigação de lado, esqueça qual sua parte nessa história. Faça tudo que puder fazer, faça sem medir esforços. Simplesmente, faça.

3) Não torne sua rotina um fardo. Eduque-se a fazer o que deve sem sentir nenhum pesar por isso. Somos puramente adaptação, nada é tão ruim que não possa ser amenizado ou tão bom que não possa ficar desgostoso.

4) Todo mundo tem problemas. Ou seja, auto piedade é deprimente, então, à medida que você se maldiz, as pessoas se afastam de você, afinal, é de exímio egoísmo achar que seus problemas são maiores e piores do que os de qualquer pessoa. Cada um sabe onde seu sapato aperta, mas lágrimas nunca ajudaram ninguém a chegar à lugar algum. Sorrisos, sim. Contagiam, trazem força, emanam garra. Podem não ser a solução, mas certamente não fazem parte dos problemas.

5) Sonhos são tão reais quanto difíceis. Esqueça a utópica ideia de que a realização de um sonho vem de mão beijada, como se fosse divinamente projetado pra ser seu. Não é. Se você tem um sonho, por mais impossível que pareça, tem que lutar como se fosse plausível, palpável e estivesse prestes a acontecer. Vivencie seu sonho todos os dias, trace metas, planos e enfrente os desafios. Parece clichê, mas é apenas um passo a passo de como fazer qualquer fantasia virar realidade.

6) Seja honesto consigo mesmo. Os elogios que você diz com tanto gosto à frente do espelho não significam nada. Saiba quem você é, e isso quer dizer que também deve conhecer seus defeitos, mesmo aqueles que não queira mudar. Admita-se errado, fracassado, mas não seja um hipócrita acomodado. Nade contra a maré de gente que se esconde atrás de falsos valores morais. Prefira a condenação de olhares invejosos por ter sua sinceridade à peito aberto. Isso não é mandamento de rebeldia, é autoconhecimento. É se libertar das amarras de que deve ser o que querem que seja.

7) Se perdoe. Às vezes, algumas escolhas infelizes te acompanharão para o resto da vida, isto é, se você deixar. Você não precisa ser alguém fadado ao martírio de um erro e não vai conseguir se reinventar a não ser que se perdoe, se deixe ir, se deixe ficar. Simplesmente, se deixe. Sinta culpa e aprenda com seus percalços, mas não permita que eles sejam seu fardo. Seja leve, seja livre. Desapegue-se de toda âncora e arrependimento, de todas pedras que juntou pelo caminho. De tudo.

8) Não tenha vergonha de si mesmo. Autenticidade é uma prática diária que consiste em sorrir pra tudo aquilo que não te acrescenta. Se é feliz sendo assim ou assado, permaneça. Se te contestam, argumente sorrindo. Se te julgam, se afaste sorrindo. Se te condenam, simplesmente sorria. Pessoas sempre vão falar bem E mal, não há como se manter numa linha imaginária inalcançável. A melhor defesa contra todo falatório é ser sempre você, ainda que não seja o mesmo.

9) Se desapegue da ideia de que fracassou sem ter chegado ao fim. Conforme o tempo passa, a gente tende a se cobrar o sucesso de objetivos tão bem traçados. Mas não é assim que a vida funciona, e não conseguir o que você planejou no tempo que determinou não te faz pior. Refaça seus planos, controle seu próprio tempo, seja mais flexível quanto aos prazos que puder manipular. Não deixe que isso tome proporções em que se veja infeliz anos luz à frente. Conquiste um dia de cada vez sem se comparar as pessoas ao seu redor. Quando você se coloca na berlinda sem avaliar suas verdadeiras vitórias, se desmotiva e menospreza os grandes feitos casuais colecionados.

10) Pensar demais é veneno. Às vezes, tudo que você precisa é de qualquer ínfimo motivo pra se jogar, qualquer detalhe que te leve a se perder, se entregar. Então vai! Se permita viver sem pensar tanto como agir, se permita a confusão do impulso, o desespero do inesperado. Se permita ser emoção, ação, movimento e, não, razão, inércia, calculo. Se permita toda forma de sentir, sem delimitar as barreiras que o fazem são. Não torne um hábito a bravura da inconsequência, mas de vez em quando, se permita não pensar sobre isso.

11) Limite sua ansiedade pra que ela não te limite. Se desapegue do certinho, do correto, do perfeito. Se desfaça de suas malas prontas, respostas pensadas e olhares incertos. A ansiedade te torna pessimista e, com isso, cego para as alternativas, cego para as oportunidades. Se você não puder controla-la, se não trabalhar para diminui-la, ela acaba por controla-lo.

Então, sempre que fizer algo por si, lembre-se que está fazendo isso pelas pessoas que ama. À medida que você prioriza suas falhas e qualidades também se torna capaz de trazer à tona o melhor nos outros. Comece por você.

Escrito por Samantha Silvany

Autora do site Bendita Cuca!, e Youtuber nas horas vagas. Não contém um sorriso ou detém um devaneio. Criou o BC! para conseguir suportar a convivência consigo mesma. Ou para um tratamento psicológico gratuito. Ou os dois. Acredita que todo mundo precisa de um grande amor para chamar de próprio.

3 sinais de que voltar com seu ex pode ser uma boa ideia

Por mais que eu pregue o desapego como princípio fundamental da felicidade, não é necessariamente a falta de amor que me refiro. Desapego é demonstrar indiferença, é perder o interesse por tudo aquilo – e todos – que não te estimulam, não te acrescentam. Mas, na verdade, nem todas as relações merecem ser tratadas com desamor. Nada pode apagar o passado, assim como, o bem que alguém lhe fez em um determinado momento. Não dá para esquecer da noite por dia quem fez do seu coração uma rotina. Tampouco, permitir que uma saudade seja mais do que um passatempo. Tem gente que merece a dúvida da tentativa, e tem gente que não vale a pena a investida. Os sinais abaixo podem te ajudar a diferencia-las.

oeoeoeo

1) Qual foi o motivo do término?


Já ouvi casais que sequer souberam dizer porque não estavam mais juntos. Eu entendo. Aconteceu tanta coisa entre eles que quando a bomba explodiu cada pedacinho de mágoa foi jogado ao vento, e aos gritos. Às vezes, basta uma lágrima para ser a gota d’água no mar dos espinhos – que já foram rosas. No entanto, às vezes, os motivos são bem pontuais: uma determinada atitude (ou a falta dela), esquecer uma data especial, a distância entre cidades ou descobrir uma traição, por exemplo. A vantagem de se saber sem pestanejar o que lhes fizeram romper é porque você pode ponderar o que vale a pena insistir e o que vale a dor de perder. Quando não se trata de personalidade incompatíveis, perspectiva de vida ou, o pior, deixar de gostar, é claro que pode ter jeito. Saiba, em primeiro lugar, qual sua parcela de culpa (Sim, você também teve culpa ainda que não tenha sido o pivô do término). Então procure melhorar a você; quais esforços você poderia fazer, quais exigências poderia repensar. Se perdoou o malfeito que seja verdadeiro, e não uma armadilha para trazer à tona sua razão a cada discussão. Amor sem coragem é só vontade.

2) Quando houve tempo.


Diante do término, às vezes, a gente fala demais, fala sem filtro. E aponta o dedo para as mudanças que esperava do outro, para as decepções que não foram apagadas, para as expectativas que sequer puderam nutrir. É como se tudo que sentimos de bom e ruim encharcasse nossa alma maltratada e nos fizesse torcer fio a fio cada lembrança. Pingamos tudo que somos ou que gostaríamos de ter sido. Acontece que independentemente do quanto isso nos faça refletir não quer dizer que, de fato, mudamos. Ou amadurecemos. Isso requer tempo. Muitos casais se precipitam e voltam com um intervalo curto de tempo depois de um término “definitivo” e insistem em afirmar que mudaram. Como se mudar fosse uma atitude completamente condicionada. Você não tem como ensinar a alguém a ser romântico, por exemplo. Ou é ou não é. Se for, vai fazer coisas surpreendentes, se não for, vai imitar o que acha bonito. A mesma coisa é a mudança. Você pode até listar o que gosta e não gosta, mas a convivência implica em novas descobertas, em novos gostos. E se alguém não entendeu a essência do princípio, vai repetir os mesmos passos ainda que em outras atitudes, entende? Existe mudança? Sim. Mas cada qual a seu tempo. Dizer que mudou não é o suficiente para provar, porém você só vai ter certeza se tentar.

3) Era alguém que te impulsionava.


Sejamos francos, só amor não basta. A gente precisa ter ao lado quem queira de nós o melhor, quem nos estimule a crescer. A gente precisa de quem compreenda nossas falhas e incentive nossos acertos. Quem vai vibrar de alegria com nossas conquistas, e mastigar nossos medos com as próprias mãos. Quem vai nos dizer tudo que precisamos ouvir no silêncio de um abraço. Quem vai ser, antes de um grande amor, um melhor amigo. Aquele que você não precisa usar filtro mental, nem precisa tomar cuidado com o que diz. Aquele que reconhece seus próprios erros, mesmo que precise de um empurrãozinho nosso. Nenhum relacionamento vence o tempo sem declives. Amor não se mede nos altos e baixos, e sim, no esforço contido em cada tentativa. Se você acha que encontrou essa pessoa é melhor esgotar as possibilidades de ser feliz com ela do que se acovardar no medo de sofrer. O peso que um “e se eu..” tem sob nossas costas não compensa. Um “eu tentei, fiz tudo que podia” é dormir com a consciência tranquila e ter a certeza de que não você foi quem perdeu.

E se realmente houver um fim que seja uma decisão tão firme e tão forte que você nem sequer precisaria ler esse texto inteiro para ter certeza.

Escrito por Samantha Silvany

Autora do site Bendita Cuca!, e Youtuber nas horas vagas. Não contém um sorriso ou detém um devaneio. Criou o BC! para conseguir suportar a convivência consigo mesma. Ou para um tratamento psicológico gratuito. Ou os dois. Acredita que todo mundo precisa de um grande amor para chamar de próprio.