CATEGORIA: Conte Sua História

Conte sua História: Apanho do meu pai e do meu namorado

Para quem não conhece, a coluna Conte Sua História é uma coluna onde eu pego uma história que me mandam por email (isabelafreitascontato@hotmail.com), coloco aqui no blog (sem divulgar nomes, fiquem tranquilos!), e dou um conselho como uma amiga/amigo faria com você. Estou com um projeto de responder uma história por dia aqui no blog, e quero que vocês me ajudem a manter essa periodicidade. Só peço que não mandem histórias muito extensas senão fica difícil de responder e analisar. Contem o caso de uma forma geral, sem coisas do tipo "No dia 3/4 de 2012 ele me beijou". Hahahaha. Combinado?

large-30

"Olá Isabela, tenho 19 anos, e sou a LM. Pra resumir a história vou contar minha vida como um todo.
Meu pai sempre bateu em minha mãe desde de que ela estava grávida do meu irmão mais velho. Ele bateu muito em nós 3 a vida toda, tentou matar meu irmão várias vezes. Depois de 20 anos minha mãe se separou dele, mas ele conseguiu 2 bons advogados e ficamos com uma pensão muito baixa. Meu irmão tem transtorno bipolar, não pudemos arcar com as contas, e minha mãe acabou casando com ele novamente. Hoje em dia ela tem um amante, todos os fins de semana e feriados dorme fora. Meu pai ficava furioso e descontava em mim e meu irmão brigando muito. Meu irmão está cada vez pior. Minha familia toda sabe dessa vergonha e ainda ficam me perguntando o que eu faço pra mudar isso.

Faz ano e meio que estou com meu namorado, e faz 1 ano que vim morar com ele pra fugir do pesadelo que é minha casa. Poucos meses depois de morar junto ele começou a me bater muito, sempre diz que vai me matar me estrangulando, me dá chutes, murros e me enforca muito, me humilha muito, grita, quebra os moveis. Os vizinhos sabem de tudo, tenho muita vergonha, depois ele se arrepende pede perdão diz que surta e não consegue se controlar, que vai tentar mudar, mas sempre faz de novo. Apanho quase toda semana.

Eu tentei voltar pra casa várias vezes, mas sempre que estou lá meu pai surta porque minha mãe não volta pra casa depois do serviço e nem nos fins de semana. Meu irmão surta junto. Meu pai cobra de mim que faça minha mãe parar.
Ameaça sair de casa e nos deixar passando fome pois agora não temos dinheiro nem pra pagar advogado. Temos muitos gastos com meu irmão.
E depois que eu sai de casa meu pai não tem com quem brigar mais, pois meu irmão não entende muita coisa, ele empurra com a barriga a situação.

Não sei mais o que fazer eu ganho 450 no estágio não tenho dinheiro pra morar sozinha. Preciso estudar pra conseguir levar a faculdade. Morando com meu namorado consigo ao menos estudar pois ele geralmente briga comigo nos fins de semana em que não está trabalhando e estudando. Pensei de várias formas poder mudar essa situação mas não estou vendo uma solução.
LM. Acho que nunca peguei uma história como a sua em todos anos que eu tenho um blog. Porque uma história que se refere a relacionamentos, e coisas bobas do dia-a-dia nós damos um conselho em 5 minutos. Estou a meia hora encarando a tela branca do meu editor do blog sem saber o que te dizer. São muitas coisas, mas a primeira delas é que: você merece muito mais, garota. Você ainda vai conquistar o mundo, vou torcer muito por isso. Você vai dar a volta por cima, e vai esquecer e deixar no passado todas essas feridas que tanto doem nas suas costas. Tudo na nossa vida é uma provação, e com certeza a cruz que você está carregando é pesada demais. Mas você consegue. Vai conseguir.
Em primeiro lugar: sua mãe nunca deveria ter casado de novo com o homem que acabou com a vida dela e dos seus filhos. Portanto se espelhe na sua mãe, não repita os mesmos erros dela. Nem que vocês passassem fome, e fosse pedir dinheiro no sinal, ainda assim seria melhor viver em um lar tranquilo do que num lar agressivo onde o pai dá dinheiro, mas devolve com violência.
Entendo que no momento você não tenha como se sustentar sozinha, mas a única solução plausível é essa. Você precisa sair da casa do seu namorado. PRECISA. Você quer que a história se repita? Que seus filhos sofram como você está sofrendo? Olhe seu irmão. O transtorno bipolar não foi fruto do lar que ele cresceu? Pense, menina, pense. Você tem amigas? E sua família? Se abra com alguém. Peça ajuda a alguém. Eu daria o meu quarto para uma amiga nessa situação. De verdade. E eu tenho certeza que você tem alguém assim por você... Uma tia, uma prima, uma madrinha, uma amiga mesmo. Alguém que divida o apartamento com você, que divida as despesas com você. Vá viver, voe sozinha. Enquanto você manter em sua vida todas essas âncoras que só te machucam e te colocam para baixo, nada vai dar certo.
Não aceite NUNCA que um homem levante a mão para você. Não apanhe calada. Não ache que esse é o amor que você merece. NAO É!! Nunca vai ser! Não é porque você apanhou a vida toda que isso vai se tornar normal, POR FAVOR! Conte para alguém que você confia. Termine com o seu namorado... Ele nunca vai parar. A violência é um vício, e uma pessoa descontrolada nunca vai deixar de ser assim nos momentos de raiva. Você merece amor, menina. Carinho, um lar aconchegante... Segurança. Me promete? Por favor?
Assim que você conseguir alguém para dividir um apartamento, uma república (são bem baratas!), me dê notícias. E estude muito para ser independente e trazer o seu irmão para morar com você. Tá? Um beijo do tamanho do mundo. E muito amor.

E você, qual o seu conselho para a LM? Já passou por algo parecido? Vamos todos ajudar! Fiquei muito preocupada com ela.

Escrito por Isabela Freitas

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Conte sua História: Termino com ele?


large-382
Olá Isabela! Sou a R.S. Gostaria de parabenizar pelo livro, li e gostei muito e quero dizer que me ajudou em questões do meu dia a dia. Mediante a este tema de desapego, quero contar minha história de forma breve. Tenho 27 anos, trabalho no RH de uma empresa de Engenharia e além disto sou Encarregada de 8 homens, nos quais tenho uma ótima convivência de trabalho. Posso dizer que graças a Deus minha vida profissional é ótima, um bom emprego, num ambiente bacana com condições boas, tenho meu carro, já fiz muitos cursos, mas no que se trata de relacionamentos sou uma negação kkk. Eu sou uma pessoa muito alegre, que adora conversar, sorrir e tudo quanto e oportunidade amo estar com minha família, gosto de estudar ,e viajar. Namorei por 10 anos uma pessoa que era meu porto seguro, e quando terminamos confesso que se não fosse minha família eu teria entrado em uma baita depressão. Meu namorado atual é uma pessoa completamente diferente de mim. Ele tem 23 anos, não tem muitos amigos, é serio, não gosta de festas, parou de estudar no terceiro ano do ensino médio, nunca fez um curso sequer de informática pois julga não ter tempo (ele só trabalha das 13:40 às 23:30hs ) e quando pergunto a ele o que tem vontade de ser ou fazer, ele simplesmente não sabe dizer o que tem vontade de fazer da vida, mas reclama porque trabalha em uma empresa e tem que aturar patrão chamando a atenção dele o tempo todo.
No ano de 2014 ele passou por 04 empresas diferentes, pois segundo ele nenhuma era boa o suficiente para ele.
Enfim com todo este histórico acima confesso que tenho muita vontade de terminar (temos 4 anos de namoro), pois além dele não ter amor próprio e tentar melhorar a vida dele, ele automaticamente só me coloca para baixo, com alguns comentários e claro tentando me mudar, dizendo que eu tenho que me dar mais respeito, parar de ser tão alegre com as pessoas que elas podem interpretar mal e etc. Porém ainda não tive coragem de por fim porque nos começamos a construir uma casa, já tem uns 2 anos e paramos poque eu falei com ele que enquanto ele não firmasse em uma empresa eu não ia mais mexer em nenhum tijolo (ele vive jogando na minha cara que eu não tenho que ficar esperando ele pra terminar a casa, que eu posso terminar , pois a casa também vai ser minha).
Enfim já tentei terminar uma vez, e ele teve um ataque de raiva, quebrou um celular na parede do quarto dele , celular novinho de mais de R$ 2 mil , a irmã dele ainda tomou as dores dele e achou ruim comigo , dizendo que eu estou deixando ele nervoso e etc.
Pra piorar conheci uma pessoa na empresa onde prestamos serviço, uma pessoa mais madura de 31 anos, que já foi casado, tem um filho, mas é um ótimo companheiro, porém mediante a minha situação atual, preferi me afastar pra não fazer ele de " bobo " e pra eu também não ficar sofrendo.
Me dá uma luz, como terminar este namoro, ele é muito dependente de mim, e sinto que eu sou culpada, pois tudo que ele pede, eu faço o possível para fazer, pois como ele tem muita vontade de casar e ter família eu acho tudo muito legal, porém não aguento mais este jeito passivo dele. Obrigada!
Oi, RS. Tudo bom? Quando li seu email parecia que era eu quem estava escrevendo. Você é sagitariana? Aposto que é. Se não for é um signo forte. Sabe porque me identifiquei com tudo que você disse? Porque tenho pavor de pessoas passivas. Pânico. Gente que deixa a vida passar por seus olhos e não faz nada pra mudar. Gente que se acha boa demais para alguma coisa, e se recusa a começar debaixo na humildade. Gente que coloca a culpa do seu fracaso no destino, nas pessoas, e nunca admite que ela tem preguiça de correr atrás do que quer. Poxa, você é um mulherão. Decidida, alegre, cheia de vida, com um ótimo emprego, e uma vida inteira pela frente. Pra que se segurar a alguém que só te coloca pra trás? Pra baixo? Alguém que serve como uma âncora nos seus pés e não te deixa ir para lugar nenhum?
Já tive um ex namorado que se viu desempregado em uma parte da vida dele. Eu o ajudei, incentivei, e ficava ansiosamente esperando pelo dia que ele iria arrumar um emprego e voltar a se sentir seguro. Esse dia não veio. Ele foi se acostumando, acostumando, e virou um "encosto". Era nítido que não queria nada com a vida. Não gosto de pessoas assim, nunca gostei. Gosto de gente independente, que luta, batalha, corre atrás, faz de tudo para vencer. A gente perde admiração, bem isso que você está falando.
Sei que é difícil terminar um relacionamento, ainda mais com uma pessoa tão dependente quanto ele é. Mas você precisa ser forte, durona, e não ter pena. Tenha pena de si mesma, por estar aguentando isso. Em um relacionamento as vezes precisamos ser egoístas e machucar o outro para sermos felizes. Infelizmente...
Esse homem do seu trabalho por exemplo, você sente algo a mais por ele. Admiração, encantamento. É o tipo de homem que você queria ao seu lado. Pode ser que ele não seja o ideal para você, mas está ali para mostrar que você pode mais se quiser mais. Se arrisque. Nunca é tarde para recomeçar, para dar adeus ao que já não é tão bom assim.
Vá ser feliz! E nunca, nunca mesmo, deixe que um homem diga que você é feliz demais, ou simpática demais, e que isso é errado. Eu sou assim também, e todo mundo que tenta cortar esse meu jeito, eu deixo no passado. Ser feliz é a melhor coisa que existe :)
Um beijo, espero ter te ajudado!

E você? Qual o seu conselho para a RS? Tá passando por isso? Já passou?

Escrito por Isabela Freitas

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Conte sua História: Ele namora duas ao mesmo tempo

oa
Oii Isa, tudo bem?? Encontrei seu blog, e adorei seus conselhos. Meu nome é K.S, tenho 28 anos e já sofri bastante com esses meus relacionamentos. O meu caso começa em 2005, quando conheci uma pessoa que parecia ser o príncipe da minha vida, gentil, fofo, e super carinhoso. Nesta época tinha 19 anos e ele 24 anos, depois de um tempo juntos ele queria transar, eu era virgem e não me sentia preparada, então simplesmente sumi, troquei telefone, e-mail, não respondi mais até ele desistir. Durante este tempo, conheci novas pessoas, me relacionei, mas nada que desse muito certo. No ano passado nos reencontramos novamente, eu achei ele no face, já que temos alguns amigos comuns, e o adicionei. Agora estamos saindo desde agosto de 2014, e no final do ano descobri que tudo que ele me disse até então, era mentira.
Primeiro: ele escondeu um filho de mim. Quando conversei com ele por ter mentido com relação ao filho, ele disse que tinha medo que eu o deixasse novamente e por isso manteve uma vida escondida de mim. Eu disse que não gostava de mentira, que sempre fui sincera, e queria que ele fosse também. Então ele disse que me amava, que me queria pra sempre, e que eu era princesa dele. E aqui devo confessar que sou incondicionalmente apaixonada por ele. Acabei acreditando.
Mas meu mundo caiu, agora dia 10 de janeiro de 2015. Porque eu descobri que ele namora uma menina desde 2013, e por mais que eu tenha pedido para ele ser sincero comigo, ele não foi. Ela nem deve desconfiar de mim, pois mora longe. Mas e como eu fico? Sinto vontade de me vingar, mas confesso que me sinto meio ingênua por acreditar nele, e por achar que ele era a mesma pessoa que conheci a alguns anos. Hoje sei que ele é um mentiroso compulsivo, e tudo bem, ele pode até gostar de mim, mas não sei se consigo perdoá-lo por mentir para mim. Isa, me ajuda. Não contei a ele que descobri sobre ela e não sei se vou contar... Pois tenho medo dele me convencer a ficar com ele mesmo assim, dizer que terminou com ela, enfim. Queria uma forma de esquecer ele e sumir como da primeira vez. Mas agora ele sabe onde trabalho, onde moro, os lugares que gosto de ir... Preciso de ajuda! O que eu faço? Conto que descobri? Ou apenas desapareço novamente? Atenciosamente, K.S.
Oi, KS, tudo bem? Fico feliz que goste dos meus conselhos, e espero que siga o que vou te aconselhar hoje. Então, é nítido q??ue esse cara não vale nada, sinceramente. Ele pode sim nutrir sentimentos por você, te achar especial (tenho certeza que você é), e gostar de estar ao seu lado (que é nítido que ele gosta e muito, se dando o trabalho de esconder um filho, e uma namorada pra você). Mas uma coisa que eu aprendi é: se uma pessoa não consegue ser honesta sobre quem ela é, e sobre o que ela quer, essa é uma pessoa que você não deve ter ao seu lado.
Você tem que contar para ele que você descobriu, é claro que tem! Mostre para ele que mentiras não permanecem enterradas para sempre. Termine com ele, e quando ele perguntar o porque, você apenas diz "Eu descobri sobre sua outra namorada, e não quero fazer parte disto''. Pronto. Ele vai ficar confuso, tentar negar, e é ai que você deve ser uma mulher adulta e forte de 29 anos que não vai cair na lábia de um mentiroso. Caramba! Depois de tudo que você descobriu, você ainda acha que consegue acreditar em UMA palavra que sai da boca desse cara? É impossível.
Quando descubro mentiras assim, pego nojo da pessoa. É como se ela tivese matado alguém, e colocado dentro do meu guarda roupa por anos sem me contar. Me sinto traída, fraca, burra, mas acima de tudo, forte para virar as costas e continuar vivendo a minha vida. Ele não te acrescenta em nada, pense nisso. Você não precisa de uma relação superficial onde tudo que você tem são promessas ditas da boca pra fora, e palavras bonitas jogadas ao vento. Nós precisamos de mais. Muito mais do que isso.
Promete que não vai continuar com ele? Mesmo que ele saiba onde você mora, trabalha, e onde frequenta, dar um ponto final disso depende de VOCÊ. Ninguém entra na sua casa se a porta não estiver aberta. Beijos, K.S!

E você? Qual o conselho tem a dar para a KS? Já passou por isso? Vamos fofocar nos comentários!

Escrito por Isabela Freitas

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Conte sua História: Insegura com o corpo

large-346

Oi Isa! Antes de tudo quero dizer que sou uma grande fã sua, sempre acompanhei seu blog e agora comprei seu livro ontem e já li, me apaixonei e quero o segundo viu? Bom, como eu me identifiquei muito com o livro, pois a maioria dos meus "relacionamentos" não dão certo, até acho que tem algo de errado comigo, e esse "algo de errado" costumo culpar meu corpo, sabe, tenho 16 anos, as meninas da minha idade todas têm corpos bonitos e eu sou magra, tipo, não tenho pernão, bundão e etc. Sei que pode ser loucura da minha cabeça, mas não me sinto bem quando amigos começam a falar das meninas que tem um corpo bonito, e olha, eu já fiz de tudo pra engordar e não consigo. É normal meus amigos falarem "você tem um rosto lindo" "seu cabelo é maravilhoso" e falar os defeitos do meu corpo... Quando eu fico com um menino (apesar de sonhar que ele pode ser finalmente o certo) não me apaixono, pois sei que ele não vai querer mais nada comigo e quando eu vejo ele com uma menina com um corpo mais bonito, percebo o que deu errado, e isso minhas amigas sempre falam, que eu nunca me apaixonei, enquanto elas já.. e muito. Por isso que queria algum conselho seu, que você tem os melhores. Te admiro bastante Isa, tudo de bom na sua vida! Beijos, J.L

Oi, J.L, tudo bom? Nós mulheres temos essa mania. De nunca nos acharmos bonitas o suficiente. Sabe, posso te contar um segredo? Todas nós temos inseguranças. Essas meninas que você diz que tem corpo bonito, também tem as inseguranças delas... O peito pode ser um maior que o outro, a perna cabeluda, ou o dedo do pé feio. Mas as inseguranças estão sempre presentes. Eu quando era mais nova tinha as inseguranças mais sem noção possíveis: tinha vergonha das pintas do meu corpo. Quem tem vergonha das pintas do corpo? Pois é, eu. Eu ia pra piscina e não queria colocar biquini porque todo mundo ia ver as pintinhas do meu corpo. Só que um dia eu notei que ninguém dava a mínima pra isso, só eu. E deixei isso pra lá (ainda bem, pois sou igual uma onça pintada hehehe só nasce mais pinta a cada dia!). Eu acho que assim, se você tem vontade de engordar, por que não entra em uma academia? Engordar não é simplesmente comer pizza todo dia, pois existem pessoas que realmente tem a genética de não conseguir nem assim. Mas sim engordar de forma saudável, praticando exercícios, e tomando alguns suplementos de academia que vão te ajudar a engordar.

Nossas inseguranças físicas tem remédio, não duvide disso. Basta você ter força de vontade, e correr atrás. Já as inseguranças que você guarda dentro de si, é hora de afastá-las. Tenho certeza que você é uma menina linda, que sim chama a atenção dos meninos, e que pode até causar a admiração de outras meninas. Mas você precisa de mais confiança. O que falta é a confiança, é você se olhar no espelho e gostar daquilo que vê. Isso faz toda a diferença.

Promete pra mim que vai tentar mudar aquilo que te incomoda, e vai se olhar no espelho se amando? Uma pessoa que se ama reluz dentre as outras. Esse pode ser o motivo de você não ter dado certo com ninguém até hoje. Afinal, de inseguranças bastam as nossas. Ninguém quer alguém inseguro ao seu lado.

Se ame. Seja segura de si. Você não precisa lutar contra o espelho. Vai por mim!

Qual o seu conselho para J.L? Vamos ajudá-la nos comentários!

Escrito por Isabela Freitas

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Conte sua História: Traída pela amiga

large-22

Oi Bela, tudo bem? Então, acompanho você a um tempo e sempre vejo seus conselhos incríveis e achei que era uma boa vir te pedir uma ajudinha! Meu nome é L. e eu tenho só 15 anos, mas mesmo assim já sofri com a pior coisa de um relacionamento, traição. Seguinte, sou uma pessoa muito timida e isso sempre me impediu muito com os caras. E para piorar eu tenho uma "amiga" totalmente diferente de mim... Algumas vezes que contei para ela sobre alguns caras que eu achava que eu teria chance, quando ia rolar ela dava em cima do cara e tudo mais, mas nada que fizesse a gente brigar, porque no final eu achava que a culpa era minha e do meu jeito. Até que a gente saiu e encontramos um cara que eu sempre fui afim sabe? E ela não perdeu a oportunidade de dançar na frente dele, e se jogar em cima.. E 'menino' não deixa passar né, ele chegou nela, mas eu pedi que ela não ficasse se não eu ia ficar muito chateada e tudo mais... E Bela, decepção graças a Deus não mata, porque foi só eu sair de perto que eles ficaram! Depois ela ficou me pedindo desculpa e eu agi como se estivesse tudo bem, mas juro que por dentro eu me sentia uma idiota, tinha vontade de sentar e chorar muito, muito mesmo! Quando a gente se separou eu fiz questão de nem responder ela mais, e ai que ela se tocou né? Ela não para de mandar mensagem pedindo desculpas e falando que ela não queria fazer isso e que ela não quer me perder e tudo mais! Eu conversei com muitos amigos e todos falaram pra dar um gelo nela, afinal eu pedi pra que ela não fizesse isso, e já não era a primeira vez.. Mas eu já não sei mais o que fazer, e eu queria muito saber de você.. Se puder me ajudar, seria muitoo grata! Obrigada des de já, amo seu trabalho.

Oi, L, posso te dar um conselho rápido e fácil? Essa sua amiga, não é sua amiga. Você não tem que dar um gelinho, ou ficar ''de mal'' por um tempo. Muito menos tentar conversar com ela, e expôr todos os motivos que a fizeram uma péssima amiga, e pedir para que ela mude. Você já teve provas suficientes de que ela: 1) tem inveja de você, já que 2) ela quer ficar com todos os caras que você fala que tá afim 3) e ela faz de tudo pra você se sentir por baixo e inferior a ela. Sinceramente? Você não precisa de uma pessoa desse tipo ao seu lado. Você tem apenas 15 aninhos, e toda uma vida pela frente. Pessoas incríveis irão aparecer, pessoas que irão fazer de tudo para tirar um sorriso do seu rosto. Amigas que vão odiar a mesma pessoa que você, e ter ciúme quando você se apaixonar por um cara. Todo o resto vai parecer pequeno diante de uma amizade verdadeira.

Vai na minha, ela não é e nunca vai ser sua amiga. Se afasta, mas para sempre. De uma vez por todas. Deixe ela viver a vidinha dela pra lá... E se ela vier atrás, diga que você não tem raiva, mas que acha que a amizade de vocês não tem mais espaço na sua vida.

Você não precisa manter pessoas que não te acrescentam em nada ao seu lado. Pra que? Por medo de mudar? Medo do que as pessoas vão dizer? Medo de ficar sozinha? Não tenha. Seja sincera com seus sentimentos.

Seu coração vai ficar mais leve. Tenho certeza. Bola pra frente, como você disse, decepção não mata. Você vai continuar vivendo!

Qual conselho vocês dariam pra L? Vamos ajudá-la nos comentários!

Escrito por Isabela Freitas

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.