Carta ao ex-namorado

Você jurou que me amava, assim como todos os outros.
Mas o problema foi que, dessa vez, eu acreditei.
Acreditei em nós, acreditei que poderíamos ser muito grandes e que nosso amor nos ajudaria a superar qualquer desavença.

Eu me sentia realmente amada,
Seu olhar e sorriso me derretiam e eu acreditava ter encontrado o amor da minha vida.
Ao acordar pela manhã, juntos, você dizia que eu era a mulher mais linda do mundo.
Até disse que amava minhas pintinhas e o jeito como eu ficava sem maquiagem, que preferia assim, algo bem natural.

Não sei o que aconteceu, não sei como eu permiti que as coisas chegassem tão longe.
Talvez porque, dessa vez, eu senti que alguém - não alguém, mas você - poderia me amar e ficar comigo para além dos meus inúmeros problemas e defeitos.
Defeitos que eu expus pra você, problemas que eu passei horas detalhando e traumas que sempre te contei com lágrimas nos olhos.
Eu desnudei minha alma um pouco obscura e tensa e você disse que não se importava, pois o seu amor era muito maior que tudo isso. Afinal, nós tivemos a sorte de nos encontrar nesse mundo tão vasto.
E você realmente esteve lá comigo por um tempo, mas, talvez, tudo tenha sido demais para você suportar,
Talvez eu tenha sido demais para você, nessa sua vida tão agitada, tão cheia de amigos e bares.

Mas era muito tarde, sabe?
A sua covardia chegou tarde,
A sua desistência veio quando você já estava em minha pele e seu perfume me sufocava em cada esquina.

Você disse que me amava, mas foi embora mudo, sem uma palavra a acrescentar,
Você disse que me amava, mas não pensou, nem por um segundo, o quanto estaria me destruindo,
Você disse que me amava e que, em hipótese alguma iria embora,
Você disse que meus defeitos não importavam e que me ajudaria a curar minhas dores e medos,
Você disse que sempre estaria lá por mim.

Mas sabe o que eu ouvi?
Ouvi o seu silêncio retumbando em meus ouvidos,
Ouvi o celular que não tocava mais,
Ouvi as mensagens que não chegavam,
Ouvi o seu silêncio gritando dentro de mim.

Você não acha que foi covarde demais?
Eu acreditei em você, eu coloquei quase todo o meu amor em nós.

A minha sorte foi ter separado em um potinho o meu amor próprio, que foi o que me impediu de ir rastejando até você,
Foi ele quem me fortaleceu e, por um tempo, me endureceu, para que eu conseguisse juntar os cacos do meu coração e toda a bagunça que você fez em mim, ao meu redor, na minha vida, na minha história,
E que jamais me fará desistir do amor, mesmo com pessoas como você no mundo.

Eu poderia dizer que você foi só mais um, como todos os outros,
Mas a verdade é que você foi pior,
Mais cruel.

Nenhum deles fez promessas que não cumpririam,
E eu pedi a você que também não fizesse,
Porque eu odeio promessas.

Mas acreditei em você,
E você foi só mais um, como os outros,

Escrito por Grazielle Vieira

Mineira, 23 anos, extremamente pisciana, advogada por graduação, blogueira e escritora no Vigor Frágil, colunista nos blogs Isabela FreitasEscritos Meus e Me Apaixonei.
Quer conversar comigo?
É só me adicionar lá no meu perfil, Grazielle Vieira, curtir a fanpage, Vigor Frágil, ou enviar um email para vigorfragil@gmail.com.
De todas as formas, você é muito bem-vindo <3