Banheiro Feminino: A família do namorado

Oi, gente! Quanto tempo não temos Banheiro Feminino por aqui, né? Digamos que nossas meninas e meninos tiraram umas férias... Mas já estão de volta. O tema de hoje é pra ser engraçado, polêmico, e um pouco revelador. HEHEHE. Vamos falar da família do namorado/ficante/rolinho, enfim, a família da pessoa amada/desejada/querida. Porque sinceramente, isso rende booooas histórias. Quem aí está animado pra ler? Vem com a gente!

banheiro-feminino

Conheça as participantes:

E2QU9jK-Isabela Freitas Se você tá aqui no meu blog e ainda não sabe que eu gosto do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas, tá no lugar errado. Ah, eu adoro signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. 24 anos, mora em Juiz de Fora, mas vive mesmo no mundo da Lua. Siga no twitter/Assine no Facebook/Siga no Instagram isabelaafreitas

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Podem me chamar de Carol, só pra eu me sentir mais em casa. 21 anos, virginiana, nada normal, com um coração enorme, pseudo-engenheira (que só é exata na parte da faculdade, porque na parte sentimental…), tentativa de blogueira, intensa demais, sincera demais, romântica demais, conselheira demais, individualista demais, amiga demais, sonhadora demais só que incrivelmente realista (por mais irônico que pareça), viciada em snaps, em fotos, em sorrisos, em flores, em pessoas, em palavras, mas principalmente em atitudes. Leia o blog/ Siga no twitter/Facebook/Snap: camonteforte/ Instagram: @camonteforte

image (1)Anna Schmidt tem 20 anos, é carioca, estudante de direito, metida a escritora (http://annaluizaschmidt.blogspot.com) nas horas vagas e Fluminense de carteirinha. Envolvida por 36 séries de TV, pelo twitter (http://twitter.com/annasschmidt_), por música de todos os tipos, livros em todas as suas formas, por filmes sci-fi e pelo Rio. Impulsiva, confusa, piadista em horas inapropriadas, frequentadora oficial da noite carioca, apaixonada por tudo e por nada e pra resumir: libriana na essência da palavra. Siga no instagram: annaluizaschmidt/ Snap: annasschmidt

Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich 25 anos. Gaúcha, contadora, pós graduanda e de quebra técnica em enfermagem com o jaleco já aposentado. Teimosa de doer e de personalidade forte, não é a toa que carrego o sangue alemão. Faço jus a ele. Amo demais o meu trabalho, livros, gatos, música rock e indie, viajar, whisky, vinho e churrasco do meu papis. Ah, e defendo o ideal da mulher independente e o completo poder de escolha sobre todos os aspectos da sua vida. Polêmica. Siga no instagram: cbredlich/ Twitter/ Leia o blog/ Facebook

julieJulie Cordeiro, odeio quando pronunciam meu nome errado. Tenho 19 anos, sou mineira, curso Administração e quero passar a minha vida administrando minhas viagens pelo mundo. Sou apaixonada por livros, pessoas bem humoradas e dormir. Consigo me expressar melhor na escrita do que na fala. Mudo de opinião constantemente, mas não permito que isso me torne influenciável. Sou o que costumo chamar de pessoas "bagunças", ninguém me entende e muito menos eu. Siga no Twitter/ Leia o blog/ Instagram: julieecordeiro/ Facebook

125Nathália Caroline, 18 anos, carioca e amante de sorvete de pistache. Faladeira, baladeira, bagunceira e todas as "eiras" que vocês conhecerem. É super amiga da Beyonce, já foi à Lua, teve um caso com o Ryan Gosling e às vezes é um pouco sonhadora demais. É sagitariana com ascendente em áries com muito orgulho, com muito amor. Siga no snap: nathcarol/ Twitter/ Instagram: nathcaroles/ Facebook

large-5

1- Você sempre teve relações boas com sogras e família do namorado?

E2QU9jK-Isabela Freitas Sempre tive. Até aparecer uma louca que atormentou minha vida por um bom tempo. Foi assim, eu entrei na casa dela, respirei, e ela já me odiou. O santo não bateu MESMO. Depois de uns meses com esse meu namorado, um dia do nada ela me tirou de dentro do banho e expulsou eu e filho dela da casa dela. Foi tipo, OI?! Ficamos por um bom tempo sem conversar, o filho dela pegou meu lado na história, mas depois de uns meses ela me pediu desculpa e ficamos "amigas". Sabe, isso me chateava muito, porque eu nunca tive problemas com família de namorado nenhum, todas sempre gostaram muito de mim. E essa mulher fez da minha vida um inferninho. Mas o perdão é a melhor coisa que existe, e eu a perdoei e seguimos em frente.

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Meninas, não sei se já contei isso pra vocês, mas namorar, namorar, namorar sério, tipo de colocar no facebook, comprar aliança e fazer declaração naqueles carros que tocam música parecida com a de carro de gás e com um locutor de liquidação das casas bahia, eu nunca namorei (coloquei esses dias que tava namorando no facebook mas foi só pra causar polêmica no dia dos namorados, bjs), mas já conheci a família de vários caras que eu estava ficando (não ao mesmo tempo, né?! Pelo menos não que eu vá assumir isso aqui, vai que causa intriga...mentira). Nunca tive problema com nenhuma delas, muitas das mães preferiam a mim do que aos filhos e quando deixávamos de ficar, elas se revoltavam contra eles hahaha #bjsprasimpatia mas nem sempre é facil, principalmente quando o cara era o 'filhinho da mamãe' (momento sono e tédio do dia).

image (1)Anna Schmidt Olha, nem sempre... Já namorei um cara que tinha uma mãe que MEU DEUS DO CÉU. A mulher era uma megera! Era daquelas que era só sorrisos e amores na frente, mas quando virava as costas, a princesa se transformava em vilã e metralhava todo mundo com críticas e frases pretensiosas. Acho que a maior sorte que tive na vida foi a de ter terminado com o cara uma semana depois de começar! Imagina se eu ia conseguir conviver com uma família assim? (Mentira, além da sogra-dragão, ele também era um completo babaca).

Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Primeiro queria expor que eu estava com uma PUTA SAUDADE DE VOCÊS (êêêêê)! Vamos lá: Se “relações boas” para você é ser cumprimentada sempre que chega na casa e ser convidada para almoços e jantares, então SIM. Acontece que ser recebida com educação é o mínimo que as pessoas fazem e isto não quer dizer necessariamente, com sorriso no rosto, o que elas acham de você. Aparentemente eu fiz a minha lição de casa e sai em paz com todos meus (ex) sogros e (ex) sogras. Sou para casar ;)

julieJulie Cordeiro, Conheçam agora a menina que nunca teve sogra: EUZINHA!!!!!Sortuda? Que nada, gente. Acontece que meu pai me proibia de namorar e quando me achei madura o suficiente para ter um relacionamento não me apaixonei por ninguém. Eu não me preocupo com isso, sei que um dia o amor irá passar por mim e será lindo o nosso encontro. Torçam por mim!

125Nathália Caroline Então, como eu só tive um namorado, eu só tive uma experiência com esse tipo de situação e não posso reclamar nem um tico. A família do cara sempre foi de boas comigo, a mãe dele sempre foi muito fofa comigo, me dava um monte de coisas (colar, pulseira, doces, batom da MAC!!!!!!!), a irmã dele sempre foi muito simpática comigo, a mãe dele me deu um batom da MAC, o pai sempre tentava me deixar a vontade e a mãe me deu um batom da MAC (gente, não dá pra odiar ninguém que te dá um batom da MAC, sério. RSRS ex sogrinha, se você estiver lendo isso, é brincadeira hehe). Eu era tratada muito muito muito bem. Deles só tenho a elogiar.

large-10

2- Já aconteceu alguma situação chata em relação ao tema?

E2QU9jK-Isabela Freitas A situação da primeira resposta. Já aconteceu situações do tipo, a-ex-sogra-me-ligar-porque-estava-com-saudades-e-queria-que-eu-voltasse-com-o-filho-dela. Errrr, deixa eu pensar aqui... Não.

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Situação chata ? Ah pelo menos pra mim foi, eu me senti um tanto constrangida. Eu estava na casa de um cara que eu ficava, no quarto dele (RELAXEM, GALERA, NÃO ESTÁVAMOS FAZENDO NADA QUE NÃO É PERMITIDO PARA ESSE HORÁRIO), eu ainda não conhecia ninguém da família dele porque estávamos no começo ainda. Fui para a casa dele porque até então a mãe dele estava TRABALHANDO e depois íamos juntos pra faculdade. DO NADA! DO NADA! DO NADA ! Quem entra no quarto e nos vê na cama ? QUEM? QUEM? A mãe do dito cujo. Ela ficou meio surpresa quando nos viu mas foi simpática, porém não conseguiu disfarçar a cara de 'QUEM É ESSA RAPARIGA COM O MEU FILHO, NO QUARTO DELE??' Fiquei sem graça e o cara achou graça porque eu fiquei parecendo um pimentão de tão vermelha. Sorte que não estávamos fazendo nada demais.

image (1)Anna Schmidt Sim... Minhas sogras (tirando essa gracinha mencionada acima) sempre foram incríveis. Sempre me dei bem com elas e a maioria sempre acabava se apegando muito a mim, e eu sempre achei que isso era a melhor coisa do mundo! Quem não quer ter um bom namorado e de quebra uma sogra fantástica? Pois é. Eu tinha os dois quando morei fora. Até dispensar o cara quando ele (choquem) me pediu em noivado. Eu tinha 18 anos. Morava em outro país. Tinha acabado de perder a virgindade. Eu não conhecia nada do mundo. Como casar com um cara assim? Tudo bem, a mãe dele ficou chateada. Bastante! O ápice mesmo foi quando a avó dele (dois anos depois), me deu de presente de aniversário uma passagem de volta pra Michigan (me escreveu que não ligava pro fato de eu não estar mais envolvida com o neto, ela só queria que eu fosse feliz e que fosse visitá-la sempre que possível), voltei e não quis nem ver o cara. A mãe dele ligou pra TODOS os meus amigos pra falar que eu era a pior pessoa do mundo. Disse que eu tinha feito o filho dela sofrer e me infernizou durante meses... As pessoas realmente não sabem diferenciar! Fiquei me sentindo numa briguinha de colegial, versão americana... Péssimo!

Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich Há um episódio em especial que particularmente me chateou muito, não guardo rancor porque né, tenho mais com o que me preocupar. Mas ouvi caladinha –pausa para comentário: mãe obrigado pela educação que me destes, em outra vida teria jogado meu prato na cara dele – de que eu poderia, assim sem mais nem menos, desistir da minha faculdade e do meu sonho de ser contadora A-F-I-N-A-L, ele não conseguiu atingir o sonho dele... E a vida tem destas coisas mesmo e desiste logo que dói menos. Desiste agora. DESISTE PORRA! Ok, o final dei um levezinho exagero, mas sim, eu ouvi isto e não, a pessoa com que me relacionava nada falou diante desta situação bisonha.

julieJulie Cordeiro, A única coisa que já me aconteceu foi a mãe de um menino que eu ficava tomar nojo da minha cara, muito raiva mesmo, quando descobriu que a gente tinha ficado. Aquelas loucas, não é?

125Nathália Caroline Chato, chaaaaato, não. Desconfortável, sim. Eu lembro quando eu fui apresentada à família e, sério, é muito ruim. Foi mais ou menos: "Não esquecer de respirar; não derrubar nada (a mão fica 10x maior nessas horas); não tropeçar em nada (surgem uns 1000 buracos do além); fingir ser tudo o que eu não sou (fofinha, educada, ter risinho bonitinho, usar uma roupa que não seja nem 'oi, acabei de entrar pro convento', nem uma 'oi, sou stripper e só cobro $5 por isso', etc)".

large-6

3- E ciúme de alguém da família, já teve?

E2QU9jK-Isabela Freitas Não. Eu sou bem tranquila em relação a ciúmes, sério. Dificilmente vocês irão me ver dando ataque, brigando, batendo boca por isso. Eu deixo a pessoa livre pra fazer o que quiser, e se fizer merda, que aguente as consequências (tipo eu indo embora dando tchauzinho).

Processed with VSCOcam with m3 presetCaroline Monteforte Já sim, quem nunca ? Hahaha primeira observação: SE CUNHADO FOSSE BOM NÃO COMEÇAVA COM AQUELAS DUAS PRIMEIRAS LETRAS LÁ! Du ficava com um cara que a irmã dele era da minha sala e nós não nos dávamos bem nem por decreto da rainha da Inglaterra, vivíamos em pé de guerra e a atividade preferida das duas era provocar diariamente o estresse e a conturbação uma da outra, a coisa piorou quando ele assumiu que estava comigo. Ela faltava voar no meu pescoço toda vez que eu ia na casa deles, mas a minha sorte é que vaca não voa, senão eu não estaria aqui agora hahahaha mas ela foi obrigada a me engolir, bjs de novo.

image (1)Anna Schmidt Olha, sim. Um dos meus ex tinha uma história meio esquisita com outro membro da família. Não posso dar muito detalhe porque vai ficar óbvio, mas eles ficaram quando eram novos e a menina ainda dava indícios de querer mais, aí já viu, né... Eu detestava. Não queria ele perto dela, mas a coisa era inevitável. Fazer o que? Todo castigo pra corno é pouco! Acabei me incomodando por nada, hoje em dia, eu sei que ele não faria nada pra me magoar...

Processed with VSCOcam with g3 presetCaroline Redlich EU JÁ SENTI CIÚMES DA MINHA PRIMA MEGAFUCKER LINDA, DIVERTIDA, GOSTOSA, INTELIGENTE, ESPONTÂNEA, eu já escrevi LINDA? Sim, eu admito. Eu devia ter meus 14-15 anos e ficava #chateada quando o namorado dela queria ficar a sós com ela. EU AMO ELA gente. Ela é muito gente boa e por isto queria sempre estar perto dela, mas ele atrapalhava, a meu ver de adolescente :D

julieJulie Cordeiro, Só daquela prima-linda-maravilhosa-que-vive-grudado-no-crush-desde-sempre.

125Nathália Caroline Lek, eu mal tenho ciúme de gente da rua, vou ter da família??? Oi???? "Ah, mas e se ele tiver uma prima estilo panicat?". Gente, continua sendo família. Se o cara não consegue te deixar segura nem com a família dele, desculpa, mas o problema tá nele, e não no fato dele ter uma prima capa de Playboy.

large-8

4- Como são os seus pais em relação aos seus namoradinhos?

E2QU9jK-Isabela Freitas Meu pai é o brother-gente-boa-que-sonha-em-ter-um-genro-parceiro-pra-tomar-cerveja. Minha mãe, bem... Minha mãe, ela é legal. COMIGO. Mas com meus namorados, VIXXXXXXXXX. Odeia todos, arruma defeito em todos, critica, enche o saco, e quando eu termino fala "AINDA BEM QUE SE LIVROU DAQUELE ENCOSTO!". Porém por incrível que pareça acho que o Rodrigo conquistou o coraçãozinho duro dela. Será um milagre? SERA JESUS DE VOLTA A TERRA?

Escrito por Isabela Freitas

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.