AUTOR: Isabela Freitas

Evento Bí-O na Riachuelo

E ai, gente! Tudo bem com vocês? Há duas semanas fui convidada por Bí-O para presenciar um evento muito bacana com algumas sortudas na loja Riachuelo, e com a minha amiga também e blogueira, Fabi Santina. Fiquei muito feliz por ter essa oportunidade de encontrar com vocês mais de "pertinho", obrigada Garnier por nos proporcionar isso.

O evento se baseava em criar dois looks diferentes usando a mesma blusa. E por que, Isabela? Porque Bí-O tem um desodorante, o Odorblock 2, que oferece a maior proteção que já tive o prazer de experimentar até hoje, de verdade. Ele tem o duplo bloqueio, que significa que o odor das nossas axilas não irá passar para a blusa que estamos usando, ou seja, você pode usar essa blusa durante o dia, chegar em casa, trocar alguns acessórios, o sapato, e usá-la novamente durante a noite, pois ela não vai ter mau cheiro algum. (lembre-se que o produto evita o cheiro de passar para a peça de roupa, mas não remove um cheiro que já estava ali incrustado, hein?)

Então durante o evento algumas modelos desfilaram looks diferentes usando a mesma blusa, foi muito legal pensar na moda daquela forma, de uma forma "reciclada", afinal, nós não temos um closet recheado de opções sempre, né? Sofremos pra conseguir montar looks, e dessa forma, reaproveitando uma blusinha, fica bem mais fácil.

As meninas que estavam no evento opinaram, tiraram fotos com a gente, ganharam brindes, foi bem gostoso e íntimo.

Mas não fique triste se você não pôde ir no evento porque nós temos uma surpresinha pra você: com a promoção Bí-O Duplo Look você pode ganhar R$850,00, UHUUUUUUUU!

Para participar você precisa:

- Montar 2 looks diferentes com a mesma blusa

- Postar no seu instagram ou facebook com a hashtag #bioduplolook (seu perfil precisa estar aberto, não se esqueça!)

- Pronto! Você já está concorrendo a 10 sorteios de R$ 850,00!

Não perca tempo, crie seu look e saia na frente!!! Em breve o regulamento completo estará disponível para vocês.

*O sorteio será líquido de IR, promoção lastreada em títulos de capitalização.

#bioduplolook #duplobloqueio #odorblock2 #garnierbrasil

Escrito por Isabela Freitas

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Vídeo novo: Some que ele corre atrás

Oi, gente! Como vocês estão? Passando aqui pra avisar que teve vídeo novo ontem no canal, e tá muito bom :) Falei sobre as típicas frases de conselhos "Some que ele corre atrás", "Pisa que ele gruda", e mais um monte de coisa legal que a gente aprende por aí. Dá super certo, né?

E sim, eu sou irônica.

Vem assistir!

Gostaram do vídeo? Se inscreve lá no canal (só clicar aqui), e deixa seu joinha se você gostou do vídeo. Isso me ajuda muito a continuar sempre gravando pra vocês :)

Escrito por Isabela Freitas

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Você vai me fazer sentir?

Escute enquanto lê:

Eu sempre fui uma garota que parecia não se importar muito com as coisas. Ou com as pessoas.

Enquanto todas crianças abriam o berreiro quando os pais saíam de casa, eu apenas ia para o meu quarto e ficava quietinha brincando com minhas bonecas. Quando minha mãe foi me buscar no primeiro dia de aula, ela me perguntou se eu senti saudades dela... E eu respondi que não tive tempo para sentir saudades. Enquanto todas minhas amigas tinham plena convicção de que queriam se tornar mocinhas logo e arrumar o primeiro namoradinho, eu só pensava no passo de ballet que iria aprender na minha aula mais tarde. Enquanto todos levantavam a mão na sala de aula e diziam para a professora o que queriam ser no futuro, eu só pensava o quão era nova para escolher algo. Eu tinha que escolher? Quando assisti minha melhor amiga se descabelar porque seu primeiro namorado tinha terminado com ela, eu só conseguia pensar em como o amor é tão injusto. Em alguns corações tanto, em outros nada. Enquanto meus pais discutiam dentro de casa, eu só pensava em como certas discussões não existiriam se as pessoas não fossem tão egoístas e pensassem só um pouquinho nos outros. Mas ficava quieta no meu quarto, rezando para que eles parassem logo. Enquanto todos estudavam para as provas do colégio para poder garantir o futuro, eu só queria me afundar nos meus livros e nas histórias que criava na minha cabeça. É que nada daquilo fazia sentido pra mim, sabe? Enquanto todo mundo acabava torcendo para o time de futebol que seus pais torciam, eu me peguei pensando: Ué, eu não posso escolher? Eu quero torcer pro time da estrelinha. Eu gosto de estrelas. É isso aí. Esse é o meu time.

Enquanto todo mundo se preocupava com o futuro, eu achava incrível o agora. Esse segundo. Esse mesmo, que passou. Você aproveitou?

Também nunca entendi muito bem porque as pessoas odiavam as outras, isso nunca fez sentido pra mim. Odiar alguém que eu nem conheço? Ou pior, odiar alguém que eu conheço vai trazer o que de bom para a minha vida? É perda de tempo. E temos tão pouco tempo...

Procurar o amor sempre me deu um pouco de preguiça. Eu tinha que procurar? O amor? Mas que amor? As pessoas falam que se amam com tanta facilidade que a palavra amor não tem tanto significado assim pra mim... Talvez um "meu sorriso é fácil quando você está comigo" me leve às nuvens. Ou um "antes de você ir embora, eu já sinto saudades" revire meu estômago.

Ou os seus olhos em cima dos meus. Isso basta...

Enquanto todos se prendem à conceitos, amarras, status em redes sociais, eu dou valor à outras coisas. Dou valor ao que quase ninguém vê, ao que não tem "valor algum". O modo como suas mãos tremem quando estamos juntos e você tem que destacar o ingresso do cinema. Ou o olhar que você lança pra mim, sem saber, mas que diz mais do que você conseguiria dizer. O jeito que você fala quando tá perto de mim, mansinho, porque eu acalmo seu coração ansioso. Ou quando você perde as palavras, e eu as encontro. Dou valor às nossas noites mal dormidas, falando sobre tudo e sobre nada, só os dois, sentindo a energia que vibra à nossa volta quando estamos juntos. Gosto de observar as estrelas e pensar no quão infinito é o universo, e o quanto sou grata por todas às vezes que eu me senti tão infinita quanto ele.

Esse amor fácil de hoje em dia em nada me atrai. Você fica com um hoje, outro amanhã, um terceiro no próximo dia útil. E o que me espanta, é que isso é muito fácil, você só precisa querer. E eu nunca quis isso, entende... Não tenho fome de amor. Não tenho fome de sexo. Não tenho medo de ficar sozinha. Então sempre que esses assuntos surgem na roda de amigos, me calo.

Ninguém iria entender a fome que eu tenho.

Ela é maior do que tudo. Me consome. Me cega. Me faz ter vontade de fugir. De jogar tudo pro alto. De gritar. De cortar o cabelo. Mudar para outra cidade. Outro país. Pegar o carro e viajar sem destino. Me hospedar em um hotel que não olhei na internet. Me faz ter vontade de rodopiar sozinha. De escutar música até meus tímpanos explodirem. De pisar no acelerador para me sentir viva. De dizer o que eu penso sem medo. De contar histórias até o amanhecer. De correr pra longe de tudo que me retém. Eu vivo com pressa. Faminta, sedenta, clamando por tudo que faz meu coração acelerar.

É que eu tenho fome de tudo que me faz sentir infinita. Tenho fome de tudo que me faz sentir invencível. Fome de tudo que não precisa mais do que 10 segundos para se tornar inesquecível na minha mente tão esquecida...

Eu sempre fui uma garota que parecia não se importar muito com as coisas. Ou com as pessoas.

Besteira... É claro que eu me importo. O que ninguém nunca entendeu é aquilo que eu me pergunto todos os dias:

Você vai me fazer sentir?

Escrito por Isabela Freitas

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Vídeo novo: Maquia e fala - Como eu me maquio?

E aí, gente! Como vocês estão? Saiu vídeo novo no canal, e o assunto dessa vez é maquiagem. Muitos de vocês pedem pra que eu grave vídeos de maquiagem, mostrando como faço as minhas (nada profissionais) maquiagens mais usadas, e enfim eu fiz.

Gravei um maquia e fala pra gente fofocar bastante, mostrando passo a passo de uma maquiagem que eu uso bastante :)

Espero que gostem!

Se você ainda não é inscrito no canal, se inscreva aqui. Teremos vídeos novos toda semana! :)

Escrito por Isabela Freitas

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Vem aí o meu terceiro livro: Não se enrola, não

Oi!! Como vocês estão? Eu estou vivendo dias de muita felicidade. Quem me acompanha nas minhas outras redes sociais sabe que sexta-feira passada eu anunciei finalmente o nome, capa, e cor do meu terceiro livro! YAY!

O anúncio foi tão impactante para os meus leitores (vocês <3) que meu nome foi parar nos trending topics (assuntos mais comentados) do Twitter. Fiquei tão feliz, sabe? Foi um trabalho de muitos meses escrevendo, depois mais longos meses revisando, fechando cada detalhezinho para que o livro saísse perfeito como eu imaginei na minha cabeça. E agora finalmente posso compartilhar com vocês.

Vem aí, "Não se enrola, não". O terceiro livro da saga de "Não se apega, não".

A cor da capa é um salmão fluorescente, mas no computador não fica tão exato. Pessoalmente vocês vão ver, é bem mais bonito! Gostaram da capa? Eu amei MUITO.

Nesse terceiro livro temos uma Isabela mais adulta, saindo da casa dos seus pais, e se mudando para São Paulo. Ao seu lado, seu melhor amigo, Pedro Miller, também se muda para São Paulo para correr atrás do seu sonho de se tornar um músico. O problema é que apenas amizade entre os dois já não está sendo o suficiente. Então eles tem uma amizade colorida. E aí que a Isabela se embola toda... Como lidar com uma amizade colorida sem se envolver muito?

Pra você que tem ou já teve uma amizade colorida, esse livro vai ser um prato cheio. Nossa personagem está confusa, e é sua própria vilã quase que o tempo todo.

PRÉ VENDA: quem já quiser garantir o seu, pode comprar na pré venda. As chances de você receber antes mesmo que eu receba é grande, isso acontece todos os anos. O livro sai oficialmente nas livrarias físicas dia 3 de Novembro, mas assim que a data estiver se aproximando, as livrarias online já começam a entregar quem comprou na pré venda. Mas se você prefere esperar até Novembro, tá valendo também :) estamos quase lá.

Links da pré venda:
- Saraiva
- Livraria da Travessa
- Amazon
- Livraria Cultura

Ebook:
- Amazon
- Apple:
- Google Play
- Kobo

Publiquei um vídeo no meu canal falando um pouco sobre o terceiro livro e a pré venda também. Bora assistir?

Se você ainda não é inscrito lá no canal, se inscreve logo. Eu posto dois vídeos novos toda semana <3

E aí, ansiosos pelo terceiro livro assim como eu? #pedrisa #vempedroeisabela #naoseenrolanao #enroladasimsozinhanunca

Escrito por Isabela Freitas

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.