10 bandas que já tocaram no Lollapalooza e que você precisa conhecer

Em 2012, ocorreu a primeira edição do Lollapalooza aqui no Brasil e desde então milhares de bandas maravilhosas passam por lá todos os anos. Os line-ups vão de rock até o rap e é uma grande oportunidade para conhecer bandas novas e renovar a playlist. Aliás, sempre bom renovar a playlist, né? Selecionei 10 bandas incríveis que já tocaram no Lolla e que você precisa conhecer.

1. Two Door Cinema Club

Two Door Cinema Club ou TDCC, como preferir, é uma banda norte-irlandesa de rock/indie/alternativo. A banda nasceu em 2007, é composta por três membros: Sam, Alex e Kevin e já lançou dois álbuns, o Tourist History (2010) e o Beacon (2012).

2. Foster the People

Foster the People existe desde 2009 e teve origem em Los Angeles, na Califórnia. A banda tem Mark Foster e Mark Pontius como atuais integrantes e Cubbie Fink como ex-integrante. A música deles abrange vários gêneros, principalmente o rock alternativo e o indie. A música mais conhecida, "Pumped Up Kicks", foi um verdadeiro sucesso e bombou em 2010.

3. Of Monsters and Men

A banda foi formada em 2010 na Islândia após um projeto solo da vocalista e é formada por 5 integrantes (um ex-membro saiu em 2012). Of monsters and Men ganhou fama internacional depois de vencer uma batalha de bandas da Islândia e é mais uma banda que também abrange o gênero indie.

4. Franz Ferdinand

A banda Franz Ferdinand é formada por 4 integrantes e nasceu em 2002 na Escócia. Já lançaram 4 álbuns, 1 EP e uma de suas músicas mais famosas é "Take Me Out". Sem dúvidas, merece sua atenção!

5. Phoenix

Phoenix é daquelas pra se apaixonar e não largar mais! A banda surgiu em 1999 na Comuna de Versailles, França e possui 4 membros: Brancowitz e Christian Mazzalai (guitarra), Deck D'Arcy (baixo) e Thomas Mars (vocal). Phoenix tem uma pegada indie com pop, fazendo com que o som seja bem divertido. Solta o play!

6. Banda do Mar

Uma das representantes brasileiras da lista, a Banda do Mar, que na verdade é luso-brasileira (Brasil e Portugal), é composta por Marcelo Camelo, Mallu Magalhães e Fred Ferreira. Em 2015, foram indicados em 2 categorias do Grammy Latino e seguem em turnê, desde o álbum de estréia.

7. The Kooks

Alguém cria uma nova palavra pra adjetivar essa banda, por favor! The Kooks é uma banda britânica formada em Brighton no ano de 2004. Já lançaram 4 álbuns e é mais uma MUITO importante na composição de uma playlist.

8. Twenty One Pilots

Quem nunca escutou "Stressed Out" que atire a primeira pedra. O duo norte-americano foi formado em 2009 e originou-se na cidade de Columbus, Ohio. A banda é composta por Tyler Joseph e Josh Dun e tem como principais gêneros o hip hop alternativo e o indie pop.

9. Supercombo

Mais uma representante brasileira. A banda foi criada em 2007 em Vitória, Espírito Santo. O nome "Supercombo" significa a combinação de músicos com seus mais diversos estilos, histórias, influências. Supercombo participou da segunda temporada do programa Superstar da Rede Globo, não venceu, mas pode ganhar nosso coração, né meu povo?

10. Walk The Moon

E pra fechar, Walk The Moon! A banda americana possui 4 integrantes atualmente, teve origem em Ohio e é mais uma dos gêneros rock alternativo e pop rock.

Conheceu um pouquinho de cada banda? Agora é hora de selecionar as músicas favoritas, adicionar na playlist, colocar o fone de ouvido e soltar o play! Aliás, se gostou das bandas, agita os amigos, junta uma grana e se prepara pro Lollapalooza 2017, que logo logo chega.

Conta pra gente aqui nos comentários quais as bandas/músicas você mais curtiu dessa lista, vamos adorar saber!

Escrito por Marcos Sena

Não tantas primaveras, mas muitas histórias. Carioca, futuro jornalista, blogueiro sonhador, youtuber, fotógrafo nas horas vagas e pai de um bulldog francês, o Frederico. Apaixonado por viagens, blogosfera, culinária e compartilhar sentimentos em forma de imagens. Se você se identifica, garanto que vai gostar de me acompanhar nas minhas redes sociais, te vejo lá!

Vídeo novo: JÁ FIZ, NUNCA FIZ

Oi, gente! Como vocês estão? Hoje to feliz, sabe por que? Porque tem vídeo novo no canaaaaaal :) adoro postar vídeo novo, sempre fico tão agradecida pelos comentários, e pelo carinho de vocês comigo lá no canal. É sem igual. Porque ter blog, ok, tudo bem, estou acostumada. Mas colocar a cara num vídeo, e esperar que as pessoas gostem ou não, é outra coisa, né? Ainda estou me acostumando.

Esse vídeo eu gravei com um dos meus melhores amigos, o Dan Loures, e nós brincamos com a tag JÁ FIZ, NUNCA FIZ... Ou seja, só rolou podre nosso o vídeo todo.

Vamos assistir?

Gostaram? Não se esqueçam de se inscrever lá no canal, e me acompanhar por lá também. Posto vídeo todas as semanas!

Escrito por Isabela Freitas

Isabela Freitas tem 25 anos, mineira, atualmente em São Paulo, mas vive mesmo no mundo da Lua. Gosta do número 7, amores de arrancar o coração, bichinhos de rua e músicas fofinhas. Ah, ela adora signos também. Sagitariana, teimosa, sincera, sonhadora, dramática e um pouco exagerada. Mas só um pouquinho. Autora dos livros "Não se apega, não" e "Não se iluda, não", e você pode comprá-los aqui. Juntos eles já venderam 500.000 exemplares e até hoje eu não acredito nisso.

Ele sumiu e você continua procurando motivos

Antes de começar, queria dizer que esse é um artigo diferente dos meus postados aqui anteriormente. É mais direto ao ponto, contando a verdade sobre os homens. Como essa foi a minha proposta ao entrar como colunista aqui do blog (além de responder dúvidas das leitoras), vamos lá :)

Lembre que meu trabalho é contar a verdade sobre a maioria dos homens, não concordar com tudo. Então se não concorda, não me xingue, xingue os homens em geral haha E sim, existem exceções e nem todos são do modo que comento.

Deixa um comentário dizendo se gostou, ok?


Desde 2009 eu tenho um blog que ajuda mulheres a entenderem como os homens pensam e desde que eu me considero gente eu ajudo minhas amigas nesses aspectos.

Uma das coisas que percebi é que as mulheres tendem a agir de uma maneira padrão em algumas coisas. E uma delas, que praticamente toda mulher faz é não escutar um homem.

Antes precisamos entender que existe uma diferença entre ouvir e escutar. Ouvir está relacionado ao sentido da audição, você ouve um barulho, ouve alguém reclamar, ouve uma aula e não entende nada.

Escutar é ouvir E entender, compreender a mensagem que foi passada.

Mas como assim, Alexandre?

Veja bem, homens e mulheres são bem diferentes e os modos que nos comunicamos também são. É comum a mulher fazer joguinhos para vários motivos como: “não ser taxada de fácil”, “para o cara se apaixonar”, “para ele ficar mais interessado”, entre outros. Um grande exemplo é a mulher que quer muito transar, mas não faz de jeito nenhum porque acredita que o cara vai considerá-la fácil e não vai querer mais nada.

Se você quer transar com um cara, se tem vontade, desejo, se o clima está legal e a única coisa que te impede de fazer é o pensamento “não quero que ele me ache fácil” ou então “quero que ele fique mais interessado, então vou ser difícil”, você está jogando. Não tem o que discutir.

Outro exemplo é ficar com o telefone na mão esperando uma mensagem do “paquera” e quando receber, demorar propositalmente um tempo para responder, pra ele não perceber que você está a fim. Bem, é outro jogo, não é? Pois bem, algumas mulheres costumam agir assim e não tem problema algum.

Fato é que homens não agem dessa maneira.

Nós somos mais diretos, sinceros e não costumamos fazer joguinhos. Se queremos transar com alguém e o clima está bom, nós fazemos, sem pensar no que a garota poderia achar da gente. Nem passa na nossa cabeça a hipótese de não fazer algo que temos vontade porque supostamente a garota pode nos considerar um cafajeste, por exemplo. Se estamos em um rolo com alguém e essa pessoa manda uma mensagem, respondemos assim que vemos. É assim que somos. Diretos, simples e sem complicações.

Outro fator importante é que não jogamos em relação a sentimentos. E esse é o ponto que eu quero chegar nesse artigo.

Se um homem fala que NÃO quer nada sério com NINGUÉM, ele realmente não quer nada sério com ninguém.

Se um homem fala que NÃO quer namorar com você, que gosta da companhia, mas não está apaixonado ou não está no clima de namoro, ele não quer namorar com você.

Simples assim. O único motivo para um homem falar essas coisas é que é a verdade e ele não quer que você crie falsas expectativas. Mas aí quando um cara fala essas coisas, você conta a história para mil amigas até uma concordar com você. Estou errado? Fala com uma, duas, três e todas aconselham a desistir, afinal, ele disse que não quer nada. Mas você é brasileira e não desiste nunca, então continua falando com amigas até uma dizer “amiga, se você quer, não desista”. Então concorda com ela e continua na falsa expectativa que um dia as coisas vão mudar.

E aí, o que acontece?

As coisas não mudam e você sofre.

Isso não teria acontecido se tivesse escutado o que o cara falou. Você ouviu ele dizendo, mas não compreendeu, achou que fosse um joguinho. Não escutou a mensagem.

“Mas se ele não gostasse de mim, por que iria......”

E aí você completa com o que quiser: “me tratar tão bem”, “mandar mensagem de bom dia”, “me apresentar os amigos”, "fazer aquela viagem comigo", etc.

E a resposta é: não é porque ele não quer nada sério romanticamente que não pode gostar da sua companhia ou que não pode te tratar bem. Na verdade ele tem a obrigação de te tratar bem e ele gosta de você sim, mas como uma amizade colorida, se formos comparar. Gosta da companhia, gosta de sair, da convivência, mas não quer namorar.

Pare de ouvir e comece a escutar.

Ficou mais simples?


Você também pode enviar a sua dúvida, sugestão ou história para contesuahistoria@alexandrechollet.com Quem sabe ela é respondida aqui no blog?

Escrito por Alexandre

Consultor de relacionamentos, criador do blog Cérebro Masculino e do projeto Clube da Conquista. Escreve sobre relacionamentos desde 2009 e ajuda amigos (as) desde sempre :P
Envie sua dúvida para: contesuahistoria@alexandrechollet.com que ela pode ser respondida aqui no blog :)
snap: alexandreuc

O dia que ela percebeu que acabou o encanto

O problema é quando a gente se acostuma com a ausência.
O problema é quando aquilo que era fundamental deixa de fazer falta.

Quando se torna fácil passar pelo dia sem aquelas conversas frenéticas nas tantas redes sociais.
Quando nem se percebe mais que tem alguém faltando no fim do dia.
Quando a mensagem de quem era tão presente, se torna uma esporádica mensagem no meio da noite.
Quando todas as respostas são advindas de uma obrigação de ser correto.
Quando as mesmas respostas são dadas com preguiça.

É difícil quando percebemos que a magia acabou.
Que não queremos mais assuntos.
Que os filmes da temperatura máxima se tornaram mais interessantes.
Que sair sozinha por aí tem sido melhor do que com a companhia do sorvete.

É chato perceber que simplesmente acabou o encanto.
A vontade de estar ao lado.
Que todos os planos não fazem mais nenhum sentido com aquela pessoa.

Aí a gente se questiona:
—Será que tem algo errado comigo? Será que não consigo me apegar? Ou amar?

Até que em uma sexta à noite, de conversa sem expectativas, você se vê diante de algo.
E aí o mundo se transforma.
Tudo muda.
Você cria coragem para fazer o impensável e se joga.
Mas, para sua surpresa, em vez de cair com o coração no chão, cai em abraços firmes.

E aí percebe:
—Não era eu quem estava errada.
Era ele.
Na verdade, não era ele.
É você!

E tudo volta a fazer falta.
E a presença se torna a solução.

Uma outra presença...

Escrito por Grazielle

Mineira, 23 anos, extremamente pisciana, advogada por graduação, escritora por amor no vigorfragil.blogspot.com.br e colunista nos blogs Isabela Freitas e Escritos Meus. Amante de sentimentos, sem saber ser metade. Apaixonada por música, alma, sorrisos, pôr do sol no inverno e literatura.
Redes sociais: @gravieirasc
Quer ler sua história através dos meus escritos? 
Envie um email para vigorfragil@gmail.com e vou escrever sobre você!

Melhores histórias dos seriados americanos

Uma história bem contada com personagens bem construídos e cativantes, vilões apaixonantes e mocinhos não tão bonzinhos assim é o que faz qualquer filme, livro ou série se tornar empolgante e viciante, fazendo com que o público se identifique e deseje assistir cada vez mais.

Veja as melhores histórias das séries americanas, porque não basta duas horas de filme, tem que ser 50 minutos de episódio a cada semana pra ficar melhor.

Agents of S.H.I.E.L.D

Mesmo tendo como legado a Marvel, o seriado anda com suas próprias pernas. Isso significa que o enredo da trama, vai além dos quadrinhos, trazendo uma história inovadora e envolvente para os inumanos e a agência que promete proteger a humanidade contra ataques que vão além da lei humana.

Encerrando a terceira temporada, com a quarta já confirmada, o seriado mostra o dia a dia da S.H.I.E.L.D, o que eles realmente fazem e como funciona a política e hierarquia da agência, que já trabalhou com os super heróis mais famosos, como, Thor, Hulk e toda equipe dos Vingadores.

Além de apresentar os já conhecidos, como os agentes Phil Coulson e Maria Hill, a trama também revela novos personagens que conquistam o público a primeira vista, como Skye, May, Ward, Fitz e Simmons. Todos envolvidos de um jeito único e com muita ação.Inclusive, ao longo das temporadas, há participações especiais de super-heróis.

Trama preferida: Daisy Johnson (Skye) | Temporada favorita: Segunda temporada

The Vampire Diaries

Muito clichê? Histórias de vampiros, sanguessugas e demônios, que remete a uma cachoeira de mitos, como alho, crucifixo e luz do Sol. Mas, The Vampire Diaries definitivamente vai muito além de uma história pobre sobre vampiros e diários. No seriado, existe toda uma lenda por trás, um enredo viciante e histórias de família, que vem de muitas gerações passadas.

Já na sétima temporada, a série é baseada nos livros de mesmo nome da autora L.J. Smith, que gira em torno dos vampiros-irmãos Salvatore e a ainda humana, Elena Gilbert. E assim muitas outras histórias são contadas, cada personagem tem a sua em particular, existem linhagens, que são incrivelmente articuladas e encaixadas no enredo do seriado. Você pode conhecer mais sobre a Linhagem Petrova e a Linhagem Original clicando nos links.

A trama da família Original, formada pelos primeiros vampiros do mundo, fez tanto sucesso (ganhando até mais destaque que os irmãos Salvadore, Damon e Stefan), que já ganharam a sua própria série em 2013, hoje com três temporadas.

Trama preferida: Damon Salvatore | Temporada favorita: Terceira Temporada

Once Upon a Time

Era uma vez... É assim que começa todas as histórias de contos de fadas que você conhece, como A Branca de Neve, Cinderela, A Bela e a Fera e tantas outras. Mas, esqueça todas elas e se aventure nesse universo paralelo incrível criado por dois produtores americanos muito inteligentes, Edward Kitsis e Adam Horowitz.

Em Once Upon a Time, que caminha para sua sexta temporada, Emma é a filha da Branca de Neve e o Príncipe Encantado, que precisou ser mandada para o mundo real, sem magia, para assim poder escapar da grande maldição lançada pela Bruxa Má.

Além da história principal, a série também conta quem são os verdadeiros personagens dos contos de fada na vida real, como Chapeuzinho Vermelho, Os Sete Anões, Bela Adormecida e outros. A série obteve muito sucesso nos EUA e no Brasil e ganhou uma nova vertente, Once Upon a Time in Wonderland, que trouxe a história de Alice no País das Maravilhas.

Trama preferida: Regina Mills (Rainha Má) | Temporada favorita: Primeira temporada

Grey's Anatomy

Diferente das outras histórias, Grey's Anatomy é incrível pela sua trama realista e empolgante. Com personagens cheios de personalidade e bem construídos, a série se passa em um hospital e mostra que a vida no Seattle Grace não é nada fácil para Meredith, Cristina Yang, Izzie Stevens, George O'Malley e Alex Karev, personagens-base da série.

Com 12 temporadas lançadas, a série americana é comentada em todo mundo, trazendo verdadeiros dramas familiares e amorosos. Os médicos, anestesistas e cirurgiões do Seattle Grace estão sempre envolvidos em grandes problemas a serem resolvidos, desde misteriosas questões médicas/técnicas, que chega a lembrar a série Dr. House, a dramas pessoais bem intimistas, à exemplo de caso homossexual, traições extraconjugal, gravidez e outros.

Grey's Anatomy é uma série completa, quase uma novela, mas sem demasiados mimimi e chega a parecer um filme, mas também não tão complexo. É gostoso de assistir e mesmo se você começar hoje a ver a quinta temporada, por exemplo, vai acabar se apaixonando loucamente por tudo que se passa na vida desses médicos e não vai querer largar mais.

Trama preferida: Cristina Yang | Temporada favorita: Quinta temporada

Essas são as melhores histórias dos seriados americanos, em minha opinião. E você quais prefere? Conta pra gente!

Escrito por Isabel Tavares

Jornalista, apaixonada por histórias e pela arte de encantar pessoas através da escrita. Tenho 22 anos e amo moda, cinema, seriados e histórias encantadoras. Visite meu site: isabeltavares.com